Futebol aveirense preparado para o regresso das competições

350
Foto AFA TV.
Smartfire 728×90 – 1

O futebol aveirense quer entrar na nova época com o ‘pé direito’, depois do alívio das restrições pandémicas que permitiram concluir as provas de 2020-21 já com público nas bancadas dos estádios da região.

A Associação de Futebol de Aveiro (AFA), fundada há 97 anos, é uma das mais representativas do ‘desporto rei’ do país, com quase 179 clubes filiados (futebol, futsal e futebol de praia).

Antes da pandemia, que ‘abalou’ a prática desportiva, crescia acima da média nacional (aumento de inscrições 4,67% em 2019). A suspensão das atividades por razões de saúde pública obriga a dar um passo atrás para conseguir recuperar a dinâmica. O plano de atividades e orçamento para 2021-22, segundo a direção da AFA, aposta, por isso, “na retoma, recuperação e consolidação.”

Pode aplicar o seu interesse e conhecimento em futebol para ter um rendimento extra, encontrando em 22Bet Portugal boas oportunidades de festejar.

O futebol amador domina entre os clubes filiados, mas Aveiro tem forte representatividade nas competições principais. O FC Arouca regressou ao convívio dos ‘grandes’ esta época. Na Segunda Liga, o Feirense está empenhado em alcançar o mesmo objetivo.

A AFA tornou-se, entretanto, a associação nacional mais representada na primeira edição da nova competição da Federação Portuguesa de Futebol, a Liga 3, contando com cinco filiados a disputar a prova: UD Oliveirense Futebol SAD, Sporting Clube São João de Ver, Associação Desportiva Sanjoanense, Lusitânia de Lourosa FC e Anadia Futebol Clube.

No plano das infraestruturas, Aveiro também dá o exemplo, tendo inaugurado, recentemente, a primeira fase da sua ‘Aldeia do Futebol’, um complexo no parque desportivo de Aveiro, com campo de futebol de 7, um campo de futebol de 11 com uma bancada coberta com capacidade para 300 espectadores, quatro balneários para equipas e dois balneários para técnicos e árbitros, iluminação artificial, bem como uma zona de parqueamento automóvel adjacente.

“Agora podemos potenciar as instalações novas, com a aposta no gabinete técnico, mais competências. A curto e médio prazo, acreditamos que os resultados serão muito mais positivos”, afirmou

Nos campeonatos distritais de Aveiro, a atenção principal está colocada na divisão de elite. Com dois históricos despromovidos do Campeonato de Portugal (Beira-Mar e Águeda), a luta pelo primeiro lugar, que permitirá regressar aos ‘nacionais’ promete ser acesa. Outros clubes, nomeadamente o União de Lamas (derrotado na final que valeu a subida ao Campeonato de Portugal) também surge colocado entre os candidatos principais.

Em Aveiro, o Beira-Mar contratou o jovem treinador Ricardo Maia, de 33 anos, que tem no currículo uma promoção ao Campeonato de Portugal quando orientou o S. João de Ver. “A partir do momento em que o Beira-Mar está neste patamar não seria lógico vir com discursos redondos, mas não corremos sozinhos, não é uma luta fácil, os perigos moram em todo o lado, é um campeonato super competitivo, com muitos treinadores qualificados e jogadores de inegável qualidade”, alertou no arranque da época.

Foto Sport Clube Beira-Mar.

Já o timoneiro do União de Lamas, Luís Miguel Martins, pretende que a sua equipa tenha um desempenho capaz de lutar sempre pelos três pontos em disputa: “jogar para ganhar em todos os jogos, até porque se isso acontecer será campeão”, afirmou citado pela AFA TV.

O Recreio de Águeda, ‘promoveu’ Tiago Pereira, ex técnico dos sub-19 e sub 22, de 32 anos, à equipa principal do Recreio em 21/22 “Encaro este projecto não como uma promoção individual, mas, sim, como uma forma directa de ajudar o clube a estabilizar e a crescer, nesta fase mais difícil. Quero dar o melhor de mim, para conseguir fazer do Recreio um clube melhor”, declarou ao jornal Soberania do Povo.

Publicidade, Serviços & Donativos

Para conhecer e ativar campanhas em NoticiasdeAveiro.pt, assim como conhecer / requisitar outros serviços e fazer donativos, utilize a nossa plataforma online.

O Notícias de Aveiro tem canais próprios para informação não jornalística »» ler estatuto editorial.