“Isto não é mais do que a duplicação da Linha do Norte. De Alta Velocidade não tem nada”

11682
Mapa da Alta Velocidade (IP).
Comercio 780

Tiago Gassman, porta-voz do Movimento Cívico de Cidadãos de Canelas, analisa o parecer favorável da Agência Portuguesa do Ambiente ao traçado da Linha de Alta Velocidade (LAV), que inclui um ramal até à Linha do Norte para garantir a ligação à estação de Aveiro (resumo da entrevista que está em versão completa, abaixo, dividida em duas gravações vídeo).

“Há uma série de anomalias, de questões menos bem estudadas e estruturadas, a que nos opomos determinantemente. Não estamos a discutir aqui apenas a questão do ramal de Canelas. Quando a Agência Portuguesa de Ambiente leva para uma sessão de esclarecimento apenas a Infraestruturas de Portugal, o dono da obra, já estava tudo definido. Até espanta-me a alteração de um pequeno traçado em Ovar…”

“Obviamente que nos apomos, com um conjunto de razões, à medida que o projeto vai sendo descoberto. A IP não quer que se conheça tudo de uma só vez, é por troços, evitando que as pessoas se possam opor de forma global.”

Artigo relacionado

Apresentações da IP nas sessões de esclarecimento

“Concordamos com a descarbonização, que Portugal tem desinvestido muito na ferrovia, carece destes investimentos, de uma Alta Velocidade, mas que seja virada para a Europa e não para a substituição da Linha do Norte, como se parece estar a fazer, com estações no Porto, em Aveiro, Coimbra, Leiria e Lisboa ? Não se antevê Alta Velocidade nisto.”

“Estarreja opõe-se a este traçado. No primeiro troço que vai ser duplamente afetada, sob a forma longitudinal (Porto – Lisboa), mas também horizontal para o ramal de Aveiro, que não existia no projeto inicial, agora querem fazer uma amálgama entre a Linha do Norte e a LAV. Somos duplamente rasgados. Num troço onde já passa a A1,a A29, o gasoduto, a linha de alta tensão. O impacto aí não seria um impacto de sobremaneira. Sem ramais, nem apeadeiros. Podia ter uma estação, que até seria aqui bem próximo, serviria Aveiro e poderia ser um polo atrativo. Isto vai ser replicado em Coimbra e Leiria…”

“Este ramal está previsto em viaduto, 8 km, os custos económicos e ambientais, com impacto para as populações, enquanto a linha principal fica em ‘zona de ninguém’ com impacto quase nulo. Em relação ao troço do ramal de Canelas, a solução A não tem impacto direito no edificado, um moinho e uma escola primária, mas apanha a Zona de Proteção Especial, espanta-nos que tenha acordo da APA. É uma obra de complexidade muito grande.”

Entrevista completa com Tiago Gassman (primeira parte)

“Ao contrário de Coimbra e Leiria, aqui não vai haver quadriplicação da Linha do Norte. A LAV vai coincidir no traçado entre o apeadeiro de Canelas e a estação de Aveiro e Oiã. Vão sobrecarregar a linha pré-existente, julgo pelo receio do impacte ambiental. Vai ser um viaduto de 8 km que com a bitola europeia, a partir de 2030, ficará desativado. Fizemos medições, seriam 5 km, porque não uma ligação de Aveiro e a futura estação e esquecer o ramal que aumenta quilómetros e o tempo de viagem.”

“Isto não é mais do que a duplicação da Linha do Norte. De Alta Velocidade não tem nada. Os entendidos dizem que a Alta Velocidade deve ligar capitais com mais de mais milhão de habitantes e distâncias a mais de 300 km. Em Portugal faria sentido Lisboa – Porto, Lisboa – Faro. A Norte com ligação à Galiza. E a sul uma ligação a Madrid ou Sevilha.”

“Já estão a fazer sondagens no terreno, em alguns casos sem autorização, as autoridades deveriam estar atentas. Entram nos terrenos sem avisar. Em relação à luta, vamos definir ações, tentar falar com outros municípios, conciliar esforços, delinear os próximos passos. Este projeto como está delineado não interessa ao País.”

Entrevista completa com Tiago Gassman (segunda parte)

Artigos relacionados

Estarreja reitera “alternativa zero” quanto ao traçado da alta velocidade

APA dá parecer favorável condicionado ao troço Porto-Aveiro da alta velocidade

Ribau Esteves sobre TGV entre Porto e Aveiro: “Sou contra esta obra. O país não precisa dela”

Aveiro: Estação Central recebe comboios de alta velocidade

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.