Fogos de Águeda e Albergaria-A-Velha dominados com muito trabalho de consolidação pela frente

3927
Bombeiros Portuenses empenhados em Albergaria-A-Velha
Smartfire 728×90 – 1

O incêndio que consumiu povoamentos florestais no concelho de Albergaria-A-Velha, desde o final da manhã de quinta-feira, obrigando à evacuação preventiva de dezenas de pessoas, foi dominado pelas 19:20, entrando na fase de consolidação para acautelar reacendimentos, o que muito provável vir a suceder, atendendo à esperada continuação de vento forte.

As chamas deflagraram em Paus, freguesia de Alquerubim, tendo lavrado em terrenos dos lugares Fontão, São Marcos e Frossos, junto ao Rio Vouga, deixando em risco populações e casas. Um alojamento local viu estruturas de apoio arderem.

Segundo o comandante Nuno Santos, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), o dispositivo no terreno conta ter pela frente “uma noite de muito trabalho, atendendo às condições condições meteorológicas previstas, nomeadamente ventos fortes do quadrante leste” previstos para as próximas horas, como sucedeu há 24 horas.

Estavam empenhados no terreno cerca de meio milhar de operacionais, com 148 veículos e cinco máquinas de rasto.

“O incêndio continuará a merecer especial atenção, para permanecer dominado e posteriormente entrar em fase de recalcado. É intenção manter os meios no terreno até que hajam condições de garantia que as operações possam ser concluídas após rescaldo e vigilância, não voltando a ter reativações que se desenvolvam de forma violenta”, explicou o comandante operacional em funções sem adiantar um prazo previsto para dar o fogo por extinto.

O “vento intenso e de rumo inconstante” criou problemas ao combate, obrigando à dispersão de meios para salvaguarda de pessoas e bens.

Durante o dia foi necessário asisstir oito pessoas, registando-se ferimentos leves em três bombeiros e dois casos por inalação de fumo. Um militar da GNR ficou ferido sem gravidade ao ser atropelado por veículo civil que desrespeitou ordem de paragem.

Discurso direto

“O perímetro florestal que ardeu já passa dois mil hectares, por isso, por mais operações que façamos, de consolidação ou rescaldo, é impossível prever quando irá terminar, seguramente teremos mais 48 horas, porque contamos com vários reacendimentos” – António Loureiro, presidente da Câmara de Albergaria-A-Velha.

Dois fogos em Águeda

O concelho de Águeda enfrentou quatro incêndios, dois dos quais prolongaram-se por mais de 24 horas. Em Macinhata, onde estavam posicionados 144 operacionais e 42 viaturas, o fogo entrou em resolução pelas 16:00. Seguiu-se a frente de Lamas (38 operacionais e nove viaturas) pelas 20:00

Estado de alerta de incêndios prolongado até terça-feira

Um despacho do Governo determinou o prolongamento da situação de alerta devido ao esperado “agravamento das condições meteorológicas para a globalidade do território do continente”, o que impõe uma série de proibições para acautelar o risco de incêndio florestal.

Mapa dos incêndios

Águeda: Macinhata do Vouga – ponto de situação Fogos.pt; Lamas – ponto de situação Fogos.pt; Travassô – ponto de situação Fogos.pt; Veiga, Valongo do Vouga – ponto de situação Fogos.pt.

Albergaria-A-Velha: Paus, Alquerubim – ponto de situação Fogos.pt.

Artigo relacionado

Chamas lavram há mais de 24 horas em Albergaria-A-Velha e Águeda

Publicidade, Serviços & Donativos