Festas de São Gonçalinho propostas para Património Nacional Imaterial

598
Festas de São Gonçalinho, 2018.
Smartfire 728×90 – 1

A Câmara de Aveiro, “em estreita articulação com a Mordomia de São Gonçalinho e com a Paróquia da Vera Cruz”, iniciou, formalmente, junto da Direção Geral de Património Cultural “o processo de submissão da candidatura das ‘Festas em Honra de São Gonçalinho’, a Património Imaterial, o que permitirá integrar o inventário nacional (Matriz PCI).

“Para ser possível esta candidatura, as três entidades prepararam um documento de inventário e fundamentação histórica e de outros elementos, incluindo as ações de salvaguarda e parecer técnico especializado”, explica uma nota de imprensa hoje difundida.

A Câmara, a Mordomia de São Gonçalinho e a Paróquia da Vera Cruz assinalam desta forma o dia de São Gonçalinho, com a entrega da candidatura esperando conseguir “classificar” as festas como “Património Nacional Imaterial”.

Em 2012, a autarquia, através da então vereadora da Cultura, Maria d aLuz Nolasco, afirmava-se empenhada numa candidatura da chamada Praça do Peixe (Mercado José Estevão), no bairro da Beira Mar, a “Património Nacional Imaterial” para “qualificar o espaço, as vivências, as tradições e o quotidiano” da comunidade local, “os produtos dos agentes económicos, o labor do serviço social, o registo das identidades e das singularidades”.