Covid-19 / Aveiro: Ribau Esteves exige “transparência” na distribuição dos ‘testes’

4164
Testes de coronavírus Covid-19.
Smartfire 728×90 – 1

O presidente da Câmara de Aveiro reclamou hoje atenção urgente do Governo às necessidades locais para despistar casos suspeitos do novo coronavírus Covid-19.

É o que está a atrasar a recolha de amostras no lar da Santa Casa da Misericórdia, onde foram confirmados sete infetados pela instituição (o líder da edilidade fala em seis).

“É a grande questão, aquilo que se passa no lar da Misericórdia, na unidade Covid-19 do Centro de Saúde e até no nosso hospital é uma realidade que causa grande perplexidade. É preciso que esta componente tão importante da intervenção que são testes estejam disponíveis. Há uma reserva nacional que ninguém sabe a dimensão e uma distribuição nacional que ninguém conhece os números. A verdade é que hoje o hospital tem stock está a zero”, denunciou Ribau Esteves em declarações à CMTV.

A unidade de triagem instalado no Centro de Saúde de Aveiro, que teve apoio da comunidade local no seu equipamento, estará pronta a abrir esta sexta-feira, mas ainda não tem sequer zaragatoas ou reagentes, ficando sem capacidade de recolher amostras para levar ao hospital e a outros centros laboratoriais, como que vai funcionar na Universidade de Aveiro.

“A própria intervenção que a autoridade de saúde decidiu fazer no lar, onde há seis infetados, que é recolher amostras a todos os utentes e funcionários, pois estamos à espera de saber quando é o momento. Dizem-nos que está para chegar um camião, talvez amanhã. Que quantidade traz ? Ninguém sabe. O senhor Primeiro-Ministro foi visitar um hospital em Lisboa que tem tudo, pois venha cá a Aveiro que aqui faltam coisas tão importantes como as peças técnicas para fazer os testes de uma importância capital. É uma aflição. Fica o meu apelo. Há muitos sítios que não têm”, acrescentou o edil.

A Câmara de Aveiro começa esta sexta-feira a entregar material de proteção individual e outros artigos para distribuir por entidades locais.

“Há uma reserva nacional, o Presidente da República anunciou que foram mil zaragatoas para Ovar, ainda bem, é preciso que mande também para aqui, é uma limitação grave que tem de suprida urgentemente e com a maior transparência nacional para dar tranquilidade aos cidadãos”, referiu Ribau Esteves.

Aveiro, com 46 casos, é o segundo concelho do ACeS do Baixo Vouga com mais infetados, segundo o boletim epidemiológico que foi divulgado na quinta-feira pela Direção Geral de Saúde (DGS). No ranking nacional surgia em 12 lugar.

(Informação ao minuto Covid-19 na RTP).

Artigo relacionado

Covid-19 / Aveiro: Lar da Misericórdia mantinha sete infetados no hospital

Publicidade, Serviços & Donativos