Aveiro: Comunicado da ASPEA sobre fim do projeto “Quinta Ecológica Ambiental”

2962
Quinta Ecológica da Moita, Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

O Núcleo Regional de Aveiro da Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA) recordará na memória, e nos registos que farão parte da história da Educação Ambiental no município de Aveiro, todas as ações no âmbito do projeto “Quinta Ecológica da Moita” que decorreu da parceria entre a ASPEA e a Santa Casa da Misericórdia de Aveiro (SCMA).

A ASPEA e a sua equipa técnico-pedagógica agradecem à mesa da Santa Casa da Misericórdia de Aveiro 2013-2020, colaboradores e diretores dessa instituição toda a disponibilidade e colaboração que deram forma a centenas de ações de natureza educativo-ambiental, social, cultural e recreativa, com envolvimento de mais de 15.000 pessoas, em especial crianças de escolas de várias regiões do país, famílias do município de Aveiro, voluntários, investigadores, escu(o)teirós entre outras.

Da parte da ASPEA nada fazia esperar esta situação, quando tivemos, há uma semana, uma reunião com o sr. Provedor, o sr. presidente do conselho fiscal e dois diretores da SCMA, para podermos definir algumas regras de comunicação conjunta e articulação no plano de ação para 2020/2021.

No entanto compreendemos as pressões a que os membros da Mesa da SCMA e outros órgãos sociais poderão ter estado sujeitos para tal desfecho, sendo que esta situação em nada altera as boas relações pessoais e o reconhecimento de todas as pessoas que por bem fizeram parte do projeto de trabalho durante estes 7 anos de parceria.

A Direção da ASPEA continuará a estar disponível no futuro para estudar possíveis formas de parceria com a SCMA que valorizem o seu trabalho de Educação Ambiental no município e proporcionem as experiências que as singularidades daquele espaço natural oferecem.

A ASPEA esclarece que reconhece como importante e urgente o apoio às associações sendo que considera nunca poderão estar em causa os devidos cofinanciamentos dos projetos e programas, tão necessários em tempo de crise pandémica associada a outras crises ambiental, social e económica. Assim, os apoios para as ações de combate à Covid-19 ou para fazer face a uma segunda vaga da Covid-19, poderão estar sempre salvaguardados com medidas excecionais, como a situação o merece e nunca a Câmara Municipal de Aveiro poderá espalhar o medo ou vitimizar-se para colocar em risco os apoios às associações.

A Câmara Municipal de Aveiro tem mecanismos para responder a situações de emergência, quando justificadas, e fazer face à disponibilização das verbas que foram definidas para apoio às associações na linha afeta à Covid-19 através do apoio excecional proposto e aprovado numa próxima reunião de Câmara, como o fez com outras associações, e assim ficam resolvidas as preocupações que as instituições possam ter;

A ASPEA deixa uma palavra de apreço por todas as associações e reafirma que existem mecanismos por parte da Câmara Municipal de Aveiro para rapidamente poder distribuir, de forma justa, equitativa e transparente todos os valores que atribuiu às associações.

Núcleo Regional da ASPEA

Artigos relacionados

Aveiro: Deliberações da reunião de Câmara de 6 de agosto

Comunicado / Santa Casa da Misericórdia de Aveiro: Fim da colaboração com a ASPEA na Mata da Moita

Publicidade, Serviços & Donativos