Sindicato dos Trabalhadores da Pesca alerta Governo

637
Apanha de bivalves na Torreira (foto de AH Cravo).
VV 728

Os pescadores da zona da Torreira depois de serem obrigados a parar devido à Pandemia COVID-19, estão agora confrontados com as incertezas no seu dia-a-dia pela restrição devido ao aparecimento de toxinas, tendo sido impedidos de trabalhar vários dias.

Esta é uma questão quase diária, o que por si só exigiria um aprofundar das causas que conduzem a esta situação, mas, recentemente, os pescadores estão a ser confrontados com a devolução de algumas espécies de pescado, pois só depois da sua venda em lota é que foram informados da interdição da apanha dessa espécie.

O atraso na informação, que por si não é esclarecedora, coloca aos Pescadores incertezas constantes.
Por outro lado, mesmo sido impedidos de trabalhar, os Pescadores estão confrontados com a falta de apoios, pois sendo só uma espécie interdita não poderão recorrer aos apoios que só podem ser acionados se a interdição for total..

Por estas questões o Sindicato pediu com carácter de urgência uma reunião ao Ministro do Mar para que a seguintes questões sejam cabalmente esclarecidas e resolvidas, na qual exigirá:

– Que a informação aos Pescadores seja mais esclarecedora, contendo a informação pelo qual serão impedidos de trabalhar;
– Que se desenvolva os meios necessários para que a informação seja mais célere;
– Definição da responsabilidade pelo pagamento do pescado quando ocorre situações como as descritas anteriormente;
– Que sejam tomadas medidas que que os Pescadores possam recorrer aos apoios;

O Sindicato dos Trabalhadores da Pesca do Norte apela à união de todos os Pescadores para a defesa dos seus interesses e compromete-se a desenvolver todos os esforços junto de outras entidades no sentido de ultrapassar esta situação.

Matosinhos, 7 de agosto de 2020
A Direcção

Publicidade, Serviços & Donativos