Tradição: Corridas de bateiras animaram tarde no S. Paio

2095
Corrida de bateiras, Torreira (2018).

No ‘S. Paio da Torreira’ é costume, de há mais de 30 anos, a realização de corridas e regatas de bateiras pondo à prova a força e perícia das gentes da praia da Murtosa, na maioria da comunidade piscatória local.

* Texto e fotos de ahcravo gorim, com Notícias de Aveiro.

As corridas são a remos e realizadas em bateiras de bicas ou chinchorros – bateiras com cerca de nove metros de comprimento e que se dedicavam em tempos à pesca com a arte porque hoje são conhecidas. Diizem-se também “de bicas” porque a proa é arqueada.

Nas corridas são tripuladas por seis homens, três a cada remo.

Cumpriu-se a tradição, que o município murtoseiro apoiar com um subsídio de participação e prémios aos melhores classificados. Este ano com 12 chinchorros, envolvendo um total de 72 tripulantes, homens e, nalguns casos, mulheres também.

Nas regatas à vela participam as chamadas bateiras caçadeiras, com um comprimento total de sete metros, sem arqueamento da bica, com um ou dois tripulantes (classe B) e bateiras de recreio, normalmente maiores (classe A).

No S. Paio deste ano participaram cerca de 40 bateiras, envolvendo perto de 80 homens.

A bateira ‘chinchorro’ deve o seu nome dado arte (rede de pesca) que encheu de peixe, enguias solha, linguado, robalo e caranguejo as cavernas das bateiras da Ria de Aveiro.

“Feitas de madeira de pinho, fundo raso – versão reduzida do Xávega –, são cada vez menos, assim como escasseiam os homens que teimosamente vão resistindo à extinção da tradicional forma de ganhar a vida” , escreveu o autor murtoseiro Francisco José Rito.

Actualmente, os pescadores da Torreira, utilizam bateiras chinchorro e as caçadeiras, estas mais pequenas (com nove a 12 cavernas).

As caçadeiras, ao contrário das outras bateiras, têm uma proa rasa com o bico espetado para a frente, , pois para além da pesca, servem para a caça. Mais pequenas, andam a remos e à vela (pano normal ou vela triangular).

Imagens das corridas de 2018 (Paulo João)

Domingo será o dia da tradicional regata de barcos moliceiros, a derradeira do ano para ver alguns dos últimos exemplares ex libris da Ria de Aveiro.

Artigos relacionados

Divulgado o cartaz da Romaria de São Paio da Torreira

30 anos a fotografar pescadores da Torreira retratados em livro