Ricardo Sousa vem com projeto a dois anos para chegar à Honra

923
Imagem do Facebook do Beira-Mar.

“Não vamos ser candidatos, mas vamos querer disputar todos os jogados para ganhar”. Ricardo Sousa resumiu, assim, os objetivos traçados para o Beira-Mar, que irá treinar no regresso aos ‘nacionais’, iniciando “um projeto a dois anos” (c/áudio).

O técnico, que conhece bem a competitividade deste escalão, devido às passagens pelas equipas do Vila Real de Santo António e Felgueiras, onde andou pelos lugares cimeiros, antevê um percurso “extremamente” complicado, com diversos adversários apontados às posições mais ambicionadas que podem até acabar em primeiro e “num dia mau” do playoff falhar a subida. “É super exigente e super difícil”, insistiu numa conferência de imprensa a que assistiram também duas dezenas de sócios.

Afigura-se, assim, uma luta de titãs. “Pelo que conheço, vai ser a melhor série que este campeonato já teve”, vaticinou Ricardo Sousa, elegendo “no mínimo” seis candidatos: Arouca, Lourosa, Espinho, Trofense, Felgueiras e Sanjoanense.

O plantel irá ser adaptado a uma fase “mais profissional”, em busca de “mais experiência”, mas também algumas renovações, como admitiu o técnico neste regresso a uma ‘casa’ que conhece bem pelas várias passagens como jogador.

As limitações do Beira-Mar, incluindo orçamentais, não assustaram no momento da abordagem a quem até teve propostas “para assumir projetos mais auspiciosos” para dar seguimento à carreira.

“É um risco que eu corro. Podia ser fácil nesta altura virar as costas ao Beira-Mar. O meu trabalho tem sido falado e visto, tive muitas propostas. Mas não ficaria satisfeito recusar o meu clube do coração”, afirmou Ricardo Sousa.

“As dificuldades existem em todos os clubes. Cabe-nos a nós contornar as dificuldades. Os conhecimentos que eu tenho, e o Afonso [Miranda] e o presidente começam a ter são enormes. Temos de gerir isso para trazer jogadores que possam ser mais valias, mas também a custo reduzido. Temos de contornar as dificuldades com muito trabalho, dedicação, humildade, que é assim que o Beira-Mar tem feito desde que renasceu”, disse.

Discurso direto (áudio com declarações completas)

“Nunca deixei de acompanhar, estive sempre presente. Não ponderei outras propostas, o coração fala mais alto. Nada é fácil, o clube só está a renascer pelos que estão aqui, a primeira equipa técnica, o grande José Alexandre, o mister Cajó, os jogadores, mas acima os adeptos é que têm conseguido. Espero ser um elo mais forte. Vou formar uma equipa para discutir os jogos até ao limite, os que nos conseguirem vencer vão ter de lutar muito”.

“Este é um projeto sustentado, ninguém vai cometer loucuras e hipotecar o crescimento. O primeiro ano é de estabilidade, iremos passar do amadorismo para o profissionalismo para o segundo ano ser de aposta. Vamos a dar a cara quando os problemas aparecerem, vão-nos fazer crescer para depois lutar por tudo que queremos”.

“A minha equipa tem de jogar bem. Os adeptos vão ficar orgulhosos do que vai fazer, já era assim como jogador. Mas acima de tudo, alterei a minha metodolologia de estar, para adaptar ao futebol moderno. Quem não for intenso, agressivo… Para ganhar mais do que os outros a qualidade não chega, é preciso também coração. É uma das coisas que caracteriza as minhas equipas”.

“Quando comecei a receber propostas perguntei ao meu pai o que era importante. Disse-me desde o primeiro dia que eu ia receber uma proposta que não podia negar. O pensamento dele já estava aqui (…). O Beira-Mar quando estava na primeira divisão vivia muitas dificuldades. Torci os pés a treinar no ‘campo de batatas’, íamos ao velhinho pavilhão do Beira-Mar. Acha bem falar em dificuldades com o Beira-Mar na primeira divisão distrital ?”.

Cílio Sousa continua na equipa técnica

Ricardo Sousa aguarda a integração de um adjunto, que está a desvincular-se de outro clube. Cilio Sousa é o outro adjunto. Miguel Meneses será o treinador de guarda-redes
O aveirense Nuno Tróia será o preparador físico. Pedro Lusitano continua como team manager (diretor desportivo).

Ricardo Sousa é opção “acima de tudo pela competência que tem”

“Foi decisivo para a conquista da nossa Taça de Portugal. É uma honra e um prazer ter o Ricardo conosco. Mas não só pelo que foi como jogador, pelo que gosta do clube, que é o do coração dele, mas acima de tudo pela competência que tem, pelo trabalho que tem feito no Campeonato de Portugal. Trabalhamos há algum tempo a preparar a época, é a nossa opção, o nosso treinador” – Hugo Coelho, presidente do Beira-Mar.

(em atualização)

Publicidade, Serviços & Donativos