O Primeiro-ministro tem de intervir com urgência na crise do leite

1063
Marcha de tratores de produtores de leite da Região de Aveiro.

Os acontecimentos dramáticos da guerra na Ucrânia vieram agravar a difícil situação dos produtores de leite portugueses, que pagam os custos de produção (rações, adubos e energia) ao mesmo nível dos colegas europeus, mas recebem o pior preço da Europa, 10 cêntimos abaixo da média comunitária, segundo os últimos dados fornecidos pela comissão europeia.

Por Carlos Neves *

O aumento do preço do leite registado em Portugal a partir de 1 de janeiro de 2022 chegou com um ano de atraso e já foi anulado pelos aumentos dos custos em 2022. Um saco de adubo que custava 6 euros custa agora 16. A Ucrânia era o primeiro produtor europeu de adubo azotado. O milho já passa os 300 euros / tonelada e a soja 550 euros / tonelada. Não sabemos sequer que milho haverá para entrega, tendo em conta que a Ucrânia era a principal fornecedora de Portugal, que um navio de cereais foi atingido por um míssil e os portos estão fechados. Tudo isto vai destabilizar ainda mais o mercado mundial de cereais que já estava em ebulição por causa do aumento de consumo da China e das secas nas regiões produtoras na América do Sul do Norte.

Surgem notícias de que os alimentos vão aumentar aos consumidores, mas não há qualquer sinal de que as cooperativas e indústrias façam qualquer atualização do preço do leite pago aos agricultores. Interpelados por produtores desesperados, atiram as culpas para a distribuição. As várias cadeias de distribuição atiram a responsabilidade para a indústria ou para os concorrentes. O Governo mandou fazer o “relatório da PARCA” mas não deu qualquer seguimento. Esse relatório, que demorou 6 meses desde que foi prometido até ser divulgado, deve estar numa gaveta à espera do próximo governo que ainda vai demorar dois meses a tomar posse e começar a trabalhar.

Precisamos de ajuda urgente. Precisamos de um aumento imediato do preço do leite ao produtor em cerca de 8 cêntimos por litro e precisamos de um mecanismo para atualizar o preço do leite de acordo com os custos de produção. O mercado do leite não funciona em Portugal e o governo tem que intervir. Senhor Primeiro-ministro, é tempo de Agir!

* Secretário-Geral da APROLEP – Associação dos Produtores de Leite de Portugal.

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.