O dia das crianças em Aradas

1326
Projeto PréPOP.

A máscara da seriedade, da competência e da verdade cai por terra quando se alteram os parágrafos originais de uma entrevista com o intuito de agradar aos interesses do entrevistado, não será certamente ingenuidade.

Por Francisco Labrincha *

No âmbito da entrevista dada à Rádio Soberania leu-se no texto original que a Junta de Freguesia no dia da Criança iria lançar o seu projeto PréPOP, texto que viria a ser alterado posteriormente por se ter constatado que tal não correspondia à verdade. Existem provas que atestam estas afirmações. A dado passo leu-se “ …o SEU projeto PréPOP…”, o “seu” foi retirado por ter sido desmascarada a mentira.
Se foi lapso, já são lapsos a mais…

Como se um não bastasse, na publicação do Facebook da Junta vinha escrito que esta teria o melhor rácio a nível nacional com um valor de 1:4, num universo de 257 crianças, iriam ser distribuídas +40 bicicletas, ou seja uma bicicleta para cada quatro crianças, ora para atingir tal valor teriam que ser distribuídas cerca de 64 bicicletas.

O senso comum diz-nos que mais de quarenta signifique à volta de quarenta.

Faço notar que o Município de Albergaria –a – Velha abraçou este projeto PréPOP em Março de 2017 distribuindo +80 bicicletas num universo de 264 crianças perfazendo um rácio de 1:3,3 ou seja uma bicicleta para 3,3 crianças, projeto desenvolvido também pela NunoZamaro indústrias com o apoio da Associação Patrulheiros.

Aradas neste contexto como ficou demonstrado anteriormente não tem o melhor rácio nacional. Por incapacidade de esclarecimento lá descobriram como resposta evasiva que a referencia ao rácio era em relação às Juntas, quando a comparação anterior foi feita ao binómio Juntas/Municípios. Mais quando se parte de rácios mal calculados todas as afirmações posteriores carecem de fundamento verídico.

A correr sozinho o primeiro lugar está garantido.
Mas o mais grave é esconderem-se por detrás de uma Instituição, misturando política com questões familiares, desrespeitando os fregueses, eliminando publicações, censurando quem pensa diferente. Total decadência humana, afirmações execráveis de quem governa.

Seria mais sensato que o evento se realizasse sem estas propagandas estapafúrdias de promoção, arrogância e vaidade, a opção por uma notícia criteriosa, simples e verdadeira teria resultados bem mais aglutinadores.
A modéstia e o comedimento sempre foram boas conselheiras, mas nesta Freguesia é tudo pioneiro, tudo possessivo, tudo medalhado a ouro, o problema é quando surgem fregueses que denunciam.

Comemore-se o Dia da Criança sem este frenesim de politiquice desenfreada que encetaram, desespero e agonia de uma auto proclamada candidatura vencedora em Assembleia pública, (não mencionada em ata) passando por putativa e atualmente a coisa alguma pois grassa uma tempestade no seu seio partidário, contas de outro rosário, aguardando benesses temporais…

Afinal com este tipo de procedimentos lamentáveis, quem está a capitalizar dividendos políticos?

Investir no futuro é dizer a verdade, não contorná-la.

Em momento algum foi condenado o evento mas sim os seus procedimentos.
Que as crianças sejam felizes, desfrutem e apreciem a liberdade…
Desejo que estas bicicletas levem estes autarcas a pedalar nas ruas da Freguesia a fim de tomarem consciência do caos da rede viária.
Tomem lá a consciencialização ambiental sustentável, quando são incapazes de dotar as ruas de condições mínimas de segurança.
Será que sabem andar de bicicleta?

* Capitão da Marinha Mercante. Freguês de Aradas.

Artigo relacionado

Aradas promove ‘duas rodas’ junto das crianças do pré-escolar

Publicidade, Serviços & Donativos