Município avança com equipa de limpeza e vigilância da floresta

262
Paços de Concelho de Anadia.
Dreamweb 728×90 – Video I

A presidente da Câmara Municipal de Anadia, Maria Teresa Cardoso, deu a conhecer, na reunião de executivo, do passado dia 21, e na reunião da Assembleia Municipal, realizada no passado dia 23 de novembro, o balanço da vigilância florestal levada a efeito por três equipas móveis, entre 1 de julho e 15 de outubro, o qual foi, no seu entender, “bastante positivo”.

De recordar que a vigilância florestal foi um dos projetos vencedores do Orçamento Participativo Jovem de 2017 que a autarquia implementou este ano, em parceria com três associações florestais de Avelãs de Cima, Boialvo e Algeriz, e com a colaboração dos Bombeiros Voluntários de Anadia e da GNR.

A autarca sublinhou que o trabalho desenvolvido pelos vigilantes, durante os três meses e meio, “foi uma surpresa e uma mais-valia”, tendo acrescentado que, neste espaço de tempo, as equipas móveis realizaram um trabalho de sensibilização das populações para os comportamentos de risco, dando-lhes ainda conta dos objetivos das equipas de vigilância. Foram reportados ao município caminhos que estavam obstruídos com árvores que, rapidamente foram desimpedidos pelas equipas municipais ou das próprias associações em colaboração com o Município.

Durante o tempo de vigilância foi encontrado um carro abandonado num dos percursos, sendo reportado à GNR, vindo-se a confirmar que se tratava de um carro roubado.

No decorrer deste período foram registados três alertas vermelhos, com condições extremamente adversas, sem que se tenha registado qualquer tipo de ocorrência. Os pequenos focos de incêndio que tiveram lugar, ao longo dos três meses e meio, foram reportados com rapidez, tendo havido sempre respostas prontas e musculadas por parte dos Bombeiros de Anadia, não permitindo que estes focos progredissem e que fossem circunscritos rápida e eficazmente.

As três equipas móveis, devidamente equipadas, com farda, telemóvel para as comunicações, extintores e binóculos, realizaram vigilância 24 horas/dia, deslocando-se em motas, percorrendo, no total, cerca de 110 mil kms. De salientar que tanto as motas, como o respetivo equipamento foram suportados pelo Município.

Os vigilantes realizaram percursos definidos, de forma a garantir a cobertura total do território das três freguesias (Avelãs de Cima, Moita e Vila Nova de Monsarros), com passagens obrigatórias nas zonas sombra do posto de vigilância fixo, localizado no Moinho do Pisco. Esta vigilância era coordenada com os Bombeiros de Anadia, GNR e CDOS – Centro Distrital de Operações de Socorro.

A edil adiantou que, tanto os Bombeiros como a GNR, “receberam bem a ideia de que as associações poderiam complementar no terreno a vigilância, dando formação e informação”.

Maria Teresa Cardoso deu também a conhecer que é pretensão da autarquia dar continuidade a este processo, tendo anunciado que, dentro de pouco tempo, o Município irá criar uma equipa de quatro pessoas para proceder as ações limpeza e complementar vigilância na floresta.

Município de Anadia