“Barco Moliceiro: Arte da Carpintaria Naval da Região” inscrito como Património Cultural Imaterial

1510
Barco moliceiro na Ria de Aveiro /Foto de AH Cravo).
Dreamweb 728×90 – Video I

A Direção-Geral do Património Cultural aceitou a inscrição, para “salvaguarda urgente”, do “Barco Moliceiro: Arte da Carpintaria Naval da Região de Aveiro” no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, que foi proposta pela Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA).

O despacho de 22 de novembro de 2022 da Subdiretora-Geral do Património Cultural, Rita Jerónimo, é hoje publicado no Diário da República.

A inscrição do “Barco Moliceiro: Arte da Carpintaria Naval da Região de Aveiro” no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, a pedido da CIRA, “reflete os critérios constantes” das normas de proteção legal.

A Direção-Geral do Património Cultural considera que a proposta de “salvaguarda urgente” tem enquadramento, entre outros aspetos, atendendo à “importância da manifestação enquanto reflexo da identidade da comunidade, grupos e indivíduos”, a sua “dimensão histórica, social e cultural na área territorial em que se insere”, bem como “a relevância da manifestação para o desenvolvimento sustentável nos territórios onde se pratica”.

Por outro lado, é levado em “as características do contexto de transmissão do saber-fazer, que acarreta riscos passíveis de comprometerem a sua continuidade, a curto e médio prazo”, impondo-se “medidas de salvaguarda e valorização preconizadas na viabilidade futura do saber-fazer em questão.”

A construção naval associada ao barco moliceiro passa, assim, a integrar o Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial (www.matrizpci.dgpc.pt) protegido por lei.

“Necessidade de salvaguarda urgente” (DGPC)

“A DGPC indicou reconhecer a necessidade de salvaguarda urgente a este saber-fazer, que atualmente é apenas praticado de forma regular por cinco mestres construtores e por um pintor de moliceiros, [sediados] nos concelhos de Estarreja e Murtosa, não se tendo conseguido atrair novos aprendizes nos anos mais recentes” (ler comunicado).

“Um passo fundamental para a classificação futura, por parte da UNESCO” – CM Murtosa

“O reconhecimento nacional da importância da salvaguarda deste património extraordinário representa um passo fundamental no caminho, encetado pela Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, para a classificação futura, por parte da UNESCO, do Moliceiro e da Carpintaria Naval da Região de Aveiro como Património Mundial Imaterial da Humanidade” (ler nota partilhada pelas redes sociais).

Artigos relacionados

Moliceiro submetido ao ‘Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial’

Património Cultural: O caso da candidatura do Barco Moliceiro

Região de Aveiro candidata barco moliceiro a Património da Humanidade

“O moliceiro já é património eleitoral!”

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.