Turismo deve ser da máxima importância em Sever do Vouga

1021
Ponte do Poço de Santiago, Sever do Vouga.
Dreamweb 728×90 – Video I

Temos noção que muito trabalho foi feito nesta área, mas grande parte graças a iniciativas individuais de particulares.

Tony Martins *

Sever do Vouga tem um grande potencial humano, com gente dinâmica e trabalhadora. Também referimos as dificuldades que os cidadãos sentem no seu dia a dia, quer ao nível das infraestruturas básicas, tais como o abastecimento de água e rede de saneamento (ou melhor, à falta delas!), quer ao nível dos acessos com vias degradadas ou entraves que não servem plenamente as necessidades da população e indústria ou ainda e não menos importante…, as deficitárias condições de acesso à saúde no nosso Concelho.

Entendemos que este é um Concelho que merece todo o nosso empenho e dedicação para que estes problemas sejam ultrapassados e, desta forma, melhorar as condições de vida de todos os Cidadãos que vivem, trabalham e até que nos visitam … porque nos visitam!

Sever do Vouga é um Concelho com um enorme potencial, quer pela sua localização, pela sua paisagem e monumentos, pela sua gastronomia, indústria e, sobretudo, pela sua gente hospitaleira e acolhedora.

Daí consideramos que o Turismo é uma área de enfoque à qual deverá ser dada a máxima importância por parte deste executivo.

Ainda para mais estamos a poucos meses do início de uma época balnear e estas questões devem ser preparadas e planeadas com a devida antecipação.

Nesse contexto, podemos e devemos identificar todos os recursos que de alguma forma poderão potenciar e reforçar o turismo do Concelho, sejam eles, pontos de interesse, monumentos, equipamentos, estabelecimentos comerciais e hoteleiros ou até mesmo culturais.

Um desses potenciais pontos de interesse é o imenso espelho de água e novos pontos de interesse originados pela infraestrutura das barragens de Ribeiradio-Ermida, em que durante anos foi exposto até à exaustão pelo Executivo todo o tipo de argumentos e benefícios que estas nos poderiam trazer, nomeadamente ao nível da regularização do caudal, do regadio e do turismo.

Assistimos nós agora, praticamente três anos após o pleno funcionamento, a uma passividade e inércia! Ou será mais falta de visão e planeamento relativamente à estratégia turística?

É urgente restituir rapidamente a praia fluvial do Rôdo definida no protocolo entre EDP e Câmara Municipal, bem como os trabalhos estabelecidos no mesmo e que eram da responsabilidade da EDP, bem como, definir o mais rapidamente possível o Plano de Ordenamento das Albufeiras de Ribeiradio e Ermida (POARE)!

Um exemplo dessa passividade é a atribuição da concessão de Pesca do Rio Vouga (nas duas margens) à Associação Biosfera de Ribeiradio, fruto da visão, planeamento e antecipação do nosso Concelho vizinho. Perguntamos, assim, porque é que não teve este Executivo a mesma iniciativa, visto termos no Concelho pelo menos três associações culturais e recreativas com atividades de pesca desportiva que poderiam muito bem assumir esta concessão.

Não nos podemos esquecer que a pesca desportiva, a praia fluvial, os desportos náuticos, um porto de atrancamento de barcos de recreio e um parque de campismo, entre outras valências, podem ser um fator de impulsionamento do turismo e desenvolvimento das Freguesias de Couto, Rocas, Pessegueiro e Cedrim/Paradela e consequentemente, no Concelho de Sever do Vouga em Geral.

Ainda relacionado com este tema, vemos com preocupação que outros equipamentos destinados ao apoio turístico do Concelho se encontram em “stand by”, isto é, não está aberto nem fechado, refiro-me ao ECOCAFÉ e praia fluvial da Quinta do Barco. É urgente colocar estes equipamentos ao dispor dos Munícipes e principalmente dos turistas que nos visitam, sob pena de estes transmitirem uma imagem negativa do Concelho e que dificilmente se recuperará.

Na mesma linha de pensamento não podemos esquecer os nossos ex libris, entre eles a ecopista, que necessita regularmente de manutenção e limpeza de forma que se mantenha agradável e atrativa aos seus visitantes.

Temos noção que muito trabalho foi feito nesta área, mas grande parte graças a iniciativas individuais de particulares, aos quais o Executivo deverá ser o principal impulsionador e estabelecer a estratégia e objetivos e não o seu contrário!

O Executivo deve ter presente que este sector das praias marítimas, fluviais e lacustres, é uma das transferências de competências que assumiu já para 2019.

* Líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal de Sever do Vouga, resumo adaptado de intervenção.

Publicidade, Serviços & Donativos