Governo chamado a incluir verbas no OE de 2022 para ampliação do hospital de Aveiro

640
Hospital de Aveiro.

A Câmara de Aveiro oficiou o Governo, há três semanas, alertando para a necessidade de reservas verbas no Orçamento de Estado de 2022 para a elaboração do projeto de ampliação do hospital de Aveiro.

Informação transmitida pelo presidente da edilidade na reunião da Assembleia Municipal realizada sexta-feira passada, a última antes das eleições autárquicas.

O ofício seguiu para a ministra da Saúde e secretário de Estado que tutela as matérias financeiras devido “a notícias que vamos ouvindo que não haverá verba no Orçamento de Estado para a administração do hospitalar lançar o concurso do projeto”.

“O que, obviamente, seria algo da maior gravidade. Há forças anti, claro que sim e algumas estão em Aveiro, não é só malta de Coimbra. Oficiei o Governo em estreia ligação coma administração do hospital para chamar a atenção que o Orçamento de Estado tem de ter cabimentação necessária para o concurso, ainda por cima de um projeto que custa cinco milhões de euros”, adiantou Ribau Esteves.

“É um passo que tem de ser dado, seria inacreditável, o pior que poderia acontecer, se o Governo não fosse honrado e não desse seguimento a todo o trabalho do hospital, Administração Regional de Saúde, Universidade de Aveiro e nós próprios sobre esta matéria”, rematou o autarca.

O assunto foi abordado na sequência de um alerta do vogal do PCP, Filipe Guerra, sobre as alegadas más condições em que foi retomado o funcionamento do ‘hospital de dia’ em Aveiro, um serviço que, entre outras especialidades, acolhe doentes oncológicos.

Artigos relacionados

Aveiro: Hospital de dia vai sofrer melhorias para atendimento de utentes

Aveiro: Partes envolvidas na ampliação do hospital assumem trabalho com “prioridade e em cooperação institucional”

Publicidade, Serviços & Donativos

Para conhecer e ativar campanhas em NoticiasdeAveiro.pt, assim como conhecer / requisitar outros serviços e fazer donativos, utilize a nossa plataforma online.