“Fizemos o suficiente para levar os três pontos” – Miguel Valença, treinador do Beira-Mar

914
Miguel Valença, treinador do Beira-Mar (foto partilhada pelo Facebook do Beira-Mar).
Dreamweb 728×90 – Video I

O Beira-Mar regressou de Marco de Canaveses trazendo na bagagem um empate 2-2 com sabor amargo, depois de ter visto esfumar-se a vantagem de dois golos ao intervalo ser anulada na conversão de grandes penalidades.

Artigo relacionado

Futebol / CdP: Beira-Mar consente empate em Marco de Canaveses, após estar a vencer por 0-2 (2-2)

Com este resultado, o São João de Ver, que conseguiu uma vitória sofrida em Lamelas (0-1), jogo que registou três expulsões na equipa local, assume a dianteira, agora isolado, da classificação.

O treinador aurinegro manteve a aposta no onze mais habitual, tendo feito apenas uma mudança, ao chamar Maurício, que ocupou o lugar de Zé Lopes no meio campo, nas tarefas mais defensivas.

Depois do intervalo, o Marco 09 fez o que lhe competia, intensificando a pressão ofensiva. A equipa da casa desesperou ao ver o poste impedir, pela segunda vez, o golo. Do lado contrário, o guarda-redes da casa ‘travou’ um remate de Silvestre que poderia ter dado outros desenvolvimentos à história do jogo. Depois surgiram os dois castigos máximos assinalados por pretensas faltas do guarda-redes Luís Pedro na área que permitiram aos marcoenses acabar a partida com um mal menor. As substituições do Beira-Mar, posicionais, não alteraram o rumo dos acontecimemtos.

Miguel Valença, treinador aveirense, admitiu, nas declarações difundidas pela rádio Terra Nova que foi um dia menos bom para a sua equipa, que estava avisada para a valia do adversário e tinha um plano para contrariar as suas mais valias.

“Sabíamos o que tínhamos de fazer. Entrámos muito bem. Chegámos com mérito ao golo, em situações que treinámos durante a semana. Depois, sabíamos que a perder o Marco iria querer chegar mais à frente com mais homens. Isso poderia dar-nos superioridade numérica, mas tínhamos de ser muito fortes para controlar a vantagem”, explicou.

Depois do intervalo, a ideia, referiu Miguel Valença, era “ter mais bola”. A equipa baixou as linhas “mas estávamos tranquilos no jogo”. Depois surge a primeira grande penalidade, “sacada a saca rolhas, mesmo até ao fundo”, por isso muito contestada pelos visitantes.

O Marco “acabou por acreditar” e chegou ao empate, um resultado que “acaba por ser justo”, admitiu o treinador aurinegro, valorizando a capacidade de “posse de bola” da sua equipa ao logo do jogo.

“É um ponto ganho, não dois perdidos, contra um candidato à subida, fora de casa, queríamos os três pontos. Não conseguimos. Temos de olhar para as coisas positivas, à terceira jornada, a malta está a dar uma resposta. Acaba por ser futebol, mas fizemos o suficiente para levar os três pontos”, conclui Miguel Valença.

Discurso direto

“Não é tirar valor ao Beira-Mar. Independentemente de estarmos a perder ao intervalo, acho que perdemos dois pontos hoje. Não podemos dar dois golos de vantagem a uma equipa como o Beira-Mar, que vinha motivada pelas vitórias. Na primeira parte tivemos situações de golo. Na segunda parte, marcámos de penálti mas falhámos outras tentativas. Fizemos tudo para vencer perante um candidato à subida. Fizemos um grande jogo” – Bock, treinador do Marco 09.

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.