Desenvolvimento turístico: Os desafios na próxima década

642
Aveiro.
Smartfire 728×90 – 1

Um dos grandes objetivos do Turismo português deve ser manter-se no pódio dos melhores destinos do mundo para viajar mas também para viver, estudar, investigar e investir. Ser tudo isso e manter-se como porta-estandarte da sustentabilidade.

Por Cristina Siza Vieira *

Desafios para as empresas: compromisso com o desenvolvimento sustentável em todas as suas vertentes e com todos os seus stakeholders: comunidade; trabalhadores; fornecedores; clientes; acionistas e financiadores. Equilíbrio entre digitalização e humanização na prestação de serviço. Antecipar tendências de consumo.

Desafios para os poderes públicos (Estados; Regiões, autarquias), comprometidos com as metas de redução das emissões de CO2 e com a manutenção do crescimento sustentável do Turismo; com o correcto balanço entre as comunidades visitadas e os visitantes, temporários ou mais ou menos permanentes; com a gestão de recursos naturais finitos, como a água, com alterações climáticas com crescente impacto e com cadeias de distribuição de bens e serviços globalizadas sujeitas a vários “acidentes”.

Para todos: desafios demográficos e climáticos.

Um dos grandes objetivos do Turismo português deve ser manter-se no pódio dos melhores destinos do mundo para viajar mas também para viver, estudar, investigar e investir. Ser tudo isso e manter-se como porta-estandarte da sustentabilidade.

A 10 anos, e uma vez que o PNT tem calculados os objetivos até 2027, há pois que atingir esses objetivos.

Em mente, o Turismo deve ter vetores como a Adaptabilidade; Diversificação; visão holística da sociedade e dos seus atores. Sair da “bolha” do Turismo e pensar no desenvolvimento integrado do país. Apostar nos pontos fortes do país e seus recursos naturais e construídos, mas também nas tecnologias, energias renováveis, no mar, na investigação e captação de pessoas.

Os temas estruturais a nível nacional que importa resolver, para lá da questão das acessibilidades (aeroporto e não só, obviamente), os que nos podem fazer mais autónomos e autossuficientes em termos de recursos fundamentais como a energia e a água, e alimentação.

* Vice-presidente da Associação da Hotelaria de Portugal. Artigo publicado a pretexto dos 32 anos da revista Ambitur.

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.