Dar voz à população que não foi consultada sobre o projeto do Rossio

2327
Foto Juntos pelo Rossio.

É importante referir que a linha orientadora dos programas PEDU’s é a diminuição da poluição, redução das emissões de CO2 e gases poluentes e ainda o investimento/estímulo em meios de deslocação alternativos e menos poluentes ao carro.

David Iguaz *

No sequência de comunicações anteriores, vimos enviar a informação sobre a convocatória da “Manifestação NÃO à destruição do Rossio” que se vai realizar no próximo sábado dia 20 de Outubro às 10.30h no Jardim do Rossio em Aveiro – https://m.facebook.com/events/341587209740102 .

O objetivo desta manifestação organizada pelo movimento Juntos pelo Rossio (https://m.facebook.com/juntospelorossio) é dar voz à população que não foi consultada para um projeto desta envergadura, já que o mesmo nunca foi sufragado, pois não estava no programa eleitoral do actual executivo camarário.

Desde finais do ano passado que nos temos organizado de forma a sermos consultados e para demonstrarmos o descontentamento da população Aveirense relativamente à destruição de um dos patrimónios mais bonitos e emblemáticos da cidade de Aveiro, mas até ao momento, o actual executivo camarário liderado por Ribau Esteves tem seguido o seu objetivo de prosseguir com este projeto apesar da repudia generalizada.

Neste momento, o executivo camarário contratou uma empresa para fazer a prospecção geológica no Jardim do Rossio, num total de 12 buracos, ao que, até ao momento já foram feitos pelo menos 6. Segundo as palavras de Ribau Esteves, o parque de estacionamento subterrâneo do Rossio vai avançar, a não ser que a viabilidade económica do mesmo seja posta em causa por estes estudos geológicos.

Sendo que este projeto está inserido no programa de financiamento europeu PEDUCA, é importante referir que a linha orientadora dos programas PEDU’s é a diminuição da poluição, redução das emissões de CO2 e gases poluentes e ainda o investimento/estímulo em meios de deslocação alternativos e menos poluentes ao carro, referindo-se mesmo na necessidade de criar bolsas de estacionamento periféricas nas cidades.

A nossa visão é que construir um parque de estacionamento subterrâneo (com pelo menos 300 lugares) no centro da cidade de Aveiro, onde os acessos ao Jardim do Rossio já são hoje muito difíceis e congestionados, principalmente durante os picos de procura turística, criando um “para-arranca” automóvel constante, é um contra-senso total, já que o fluxo automóvel diário de um parque de estacionamento de 300 lugares vai claramente originar a um aumento das emissões de CO2 e gases poluentes totalmente contrárias ao espírito dos programas de financiamento europeus PEDU’s, assim como, vai na direcção oposta à criação de bolsas de estacionamento periféricas também presentes como elemento base dos PEDU’s.

Gostaríamos de poder contar com a vossa presença neste evento sobre esta injustiça contra a cidade e os aveirenses.

* Juntos pelo Rossio.