Aveiro: PCP contra deslocalização da ‘praça do peixe’ reclama medidas de valorização

1341
Praça do Peixe, Aveiro.

O PCP de Aveiro manifestou hoje a sua “oposição” à pretensão do executivo camarário local de transferir a venda de peixe do Mercado José Estevão (praça do peixe) para o Mercado Manuel Firmino, reclamando, em alternativa, medidas de apoio à atividade local.

Artigo relacionado

Aveiro: Mercado José Estêvão vai perder a ‘praça do peixe’

Para os comunistas, o Mercado José Estevão, “raro exemplar no país e único no município de Aveiro” da denominada ‘arquitectura do ferro’, concebido para esse fim e cuja construção remonta ao início do século passado, deve manter a venda de peixe, o que “o distingue e o valoriza”. Além disso, sublinha o PCP, “faz parte vivência da população da Beira-Mar e é fonte de atracção turística amplamente valorizada”.

A concelhia comunista lembra em comunicado que ao longo de anos “foram várias as intervenções ali ocorridas, com avultados investimentos públicos, no sentido da sua reabilitação e continuidade da sua operacionalidade, permitindo a manutenção do seu funcionamento no presente e no futuro.”

No entanto, “recentes alterações dos espaços públicos envolventes e a necessidade de novas intervenções, no sentido da atualização dos seus equipamentos e de aumento da sua comodidade, como são exemplos os meios de refrigeração dos produtos ou os espaços sanitários, têm contribuído para as crescentes dificuldades sentidas pelos comerciantes.”

O PCP defende que “deve ser estudada a possibilidade de alargamento dos produtos comercializáveis no mercado, com vista à sua diversificação e valorização para o aumento de visitantes e clientes, bem como proceder a uma atualização em baixa das diversas taxas e emolumentos que dificultam a operação dos comerciantes num momento de crise.”

A transformação da ‘praça do peixe’ em espaço de esplanada ou rés-do-chão de restaurante, alertam os comunistas, “é um passo mais na descaracterização do centro da cidade e do seu já prolongado processo de gentrificação”.

A “priorização das atividades turísticas sobre tudo o resto, é logo a curto prazo negativo para a população mas igualmente o será a médio e longo prazo para a própria indústria turística.”

Por último, o PCP apela à população de Aveiro, aos comerciantes e utentes da ‘praça do peixe’ “que reivindiquem a defesa deste importante património cultural e das suas atividades históricas, e que condenem mais uma submissão a efémeros interesses comerciais da maioria PSD-CDS de Ribau Esteves, com a aparente cumplicidade do PS”, porque “defender a ‘praça do peixe’ é defender o futuro de Aveiro.”

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.