Aveiro / Dia da Cidade: Presidente da Câmara disposto a prosseguir “caminhada” para conseguir “mais e melhor para a nossa terra”

1626
Sessão solene do Dia da Cidade, Aveiro.
Smartfire 728×90 – 1

“Vamos continuar a trabalhar com toda a intensidade no cumprimento dos compromissos assumidos com os aveirenses, com Educação e Cultura, com obras e eventos, com apoio social a quem verdadeiramente precisa, com parceria com os agentes económicos que apostam na recuperação das perdas da crise provocada pela pandemia, e no seu crescimento futuro”.

Compromisso deixado pelo presidente da Câmara de Aveiro, esta manhã, no discurso da sessão solene do Dia da Cidade, feriado municipal que é consagrado religiosamente à padroeira Santa Joana, este ano sem algumas das cerimónias públicas mais marcantes, como a tradicional procissão. Uma data que a edilidade aproveita, também, para atribuir distinções honoríficas.

Artigo relacionado

Aveiro: Aprovadas as distinções honoríficas do Dia da Cidade

Lembrando que 2020 foi “um ano hiper-intenso”, Ribau Esteves não quis deixar de apresentar “ao quinto mês do ano 2021, as performances alcançadas”, salientando as três que considera “mais relevantes” já em jeito de balanço do mandato que caminha para o final.

Primeiro, a recuperação financeira, passando a ter uma tesouraria nos limites legais, com “uma fantástica recuperação em que a dívida total passou de 150 milhões de euros para 78,8 milhões de euros, instalando a prática de uma Câmara cumpridora com todos, pagando todas as contas bem antes de terminar o prazo contratual.”

Lembrou, depois, o “desenvolvimento de um conjunto vasto de investimentos, por todo o município e de muitas tipologias, com projetos, concursos e obras que valem hoje cerca de 100 milhões de euros”, acreditando que “estão mesmo a dar mais qualidade de vida a todos” apesar dos incómodos provocados.

Por último, o combate à pandemia da Covid-19, para a qual foram dirigidos, garantiu o edil, “todos recursos necessários, ao nível institucional e político, financeiro e logístico” com as entidades envolvidas.

No último ano do segundo mandato da maioria PSD-CDS-PPM, Ribau Esteves garante ter “uma Câmara Municipal recuperada e competente em termos de organização, de finanças e de plena autonomia, com uma dimensão de investimentos concretizados e em curso, muito grande e importante para a vida das pessoas, e um combate à pandemia ativo e atento com forte apoio à atividade social e económica”.

Uma “caminhada que vamos continuar a fazer porque estamos juntos e queremos mais e melhor para a nossa terra”, enfatizou o edil, deixando antever, como se espera, que vai aceitar o apoio já expresso por parte das concelhias do PSD e CDS para concorrer a mais quatro anos, os últimos legalmente permitidos. Um assunto sobre o qual ainda não falou abertamente.

De resto, o processo autárquico tem motivado alguma controvérsia, com a concelhia social democrata a não abdicar da indicação de figuras para as listas e a distrital ‘laranja’ a ver-se forçada a chamar a si o processo autárquico. Decisão que a estrutura local do PSD contestou no Conselho Nacional de Jurisdição.

Discurso direto

“Quero agradecer ao Diretor do Agrupamento de Escolas de Aveiro, a homenagem ao Nosso Município de Aveiro pela colocação de Bandeiras com o Brasão que hoje daqui honramos, recebendo essa energia da aposta em darmos uma vida nova àquele edifício [Secundária Homem Cristo] onde queremos instalar os Serviços da Câmara Municipal de Aveiro, integrando um expressivo memorial à Escola e ao seu Patrono, e dando um edifício novo ao Ministério da Educação para termos uma Escola Secundária Homem Cristo como os seus Alunos, Professores e Pessoal Não Docente merecem, com todas as boas condições que a modernidade nos propicia e exige nos edifícios e nos seus espaços verdes, de recreio e de desporto”;

“Queremos mudar radicalmente o rumo do património que o Governo do País mantém num vergonhoso abandono, prosseguindo a Luta de darmos vida nova e útil aos terrenos da antiga Lota de Aveiro, do antigo Colégio Alberto Souto (que nos últimos meses foi alvo de um extenso vandalismo destruidor do interior dos edifícios), ao antigo Centro de Saúde Mental de São Bernardo, entre outros, que prosseguem o seu caminho de ruína e de lixo urbano em nome do egoísmo do Estado Central agarrado à sua incompetência. Continuamos a lutar para que sejam entregues à Câmara Municipal de Aveiro para neles realizarmos avultados investimentos e os colocarmos ao serviço das Pessoas”;

“A cooperação da Câmara Municipal de Aveiro com as Associações da área Social bateu todos os records em 2020 e 2021, atingindo 800.000 euros em 2020 e mais de 900.000 em 2021, realçando a importância do seu contributo para a coesão social no Município de Aveiro, sabendo que estamos todos apostados em ter uma Rede Social mais forte para exercermos bem as novas competência que vamos receber em abril de 2022”;

“Num tempo em que a Câmara Municipal de Aveiro vive o seu primeiro ano de exercício das novas competências na área da Educação, com assinalável sucesso e investindo do seu orçamento um milhão de euros mais do que recebe o Ministério da Educação, por opção de investimento em fazer Mais e Melhor, reiteramos a nossa aposta prioritária na Educação, nas políticas imateriais e materiais, destacando nesta as operações que temos em desenvolvimento ao nível do Pré-Escolar e do 1º Ciclo: as três obras de Azurva, Quintã do Loureiro e Póvoa do Paço em Cacia, os seis concursos de obra de Nª Sra de Fátima, Eixo, Bonsucesso, Barrocas, Solposto e Areais em Santa Joana, e um projeto em Esgueira, num investimento total superior a 20 milhões de euros”;

“Quero hoje anunciar o evento que vamos realizar no próximo dia 24 de maio, de apresentação de um grande investimento privado que vai contar com o apoio da Câmara Municipal de Aveiro: uma urbanização de quase 300 fogos em regime de Habitação a Custos Controlados, e que amanhã mesmo inicia a consulta pública formal do seu processo de licenciamento”.

Ler discurso completo do presidente da CMA no Dia da Cidade.

Publicidade, Serviços & Donativos