Aveiro: Comemorar Abril deve servir para ‘puxar’ pela cidadania e fortalecer a democracia, defende Ribau Esteves

826
Sessão solene do 25 de Aveiro, Aveiro.

A democracia conquistada na sequência do Movimento das Forças Armadas (MFA) foi “fazendo o seu caminho ao longo de 47 anos para ser melhor e mais mais robusta”, constatou o presidente da Câmara de Aveiro na intervenção de encerramento das comemorações da ‘Revolução dos Cravos’ realizada este domingo no edifício sede da Assembleia Municipal.

Ribau Esteves apontou, no entanto, que ainda hoje existem lições a tirar das vitórias de Abril. “Na certeza que interessa comemorar este dia tão importante puxando pela nossa cidadania, mobilizando mais gente para fortalecer a democracia”, apelou, considerando que é necessário “ter um Portugal objetivamente de todos”, o que “exige uma participação mais ativa na vida da comunidade, das associações, empresas, de tudo que contribui para Portugal” .

Para o autarca, “a pandemia veio lembrar”, contudo, “que a liberdade não é definitiva, perturba-nos a vida de forma grave, ao ponto de não termos o direito pleno da liberdade que o 25 trouxe”.

Por isso, entende que “é muito importante, neste tempo, apanhar as boas lições das restrições de há mais um ano” devido aos riscos para a saúde pública. “Temos de ser mais solidários no cumprimento de normas” e “manter o empenho individual e a prestação coletiva” que permita “regressar à boa liberdade plena”, vincou.

Ao fazer um paralelismo com a gestão camarária, Ribau Esteves referiu-se ao empenho da autarquia “em prosseguir a plenitude de liberdade” do município, com um trabalho ao longo de sete anos para a Câmara ficar “sem condicionalismos que nasceram por ela se ter despistado para o lado mau na gestão financeiro”.

O edil fez notar que “a liberdade é muito importante e tem de ser utilizada, mas sempre permanentemente acompanhada pela responsabilidade de gerirmos bem o interesse coletivo e do futuro da nossa terra e geração a seguir”.

“Um passo muito importante como o da democracia que tem de ser cuidado todos os dias”, ressalvou, adiantando que tem levado a vários fóruns (Associação Nacional dos Municípios Portuguesa e Comité das Regiões) a mensagem que “é preciso que os governos centrais entreguem mais poder aos poderes locais”, como “uma forma importante de entregar a gestão da coisa de todos a cada cidadão e por essa via estimular participação mais ativa no Estado”.

“Lutar por uma democracia mais descentralizada, que será, assim, mais participada exige que nos mantenhamos empenhados, a cuidar bem da condição de cidadãos, a mais importante que conseguimos receber da Revolução de Abril”, concluiu.

Vídeo da cerimónia solene do 25 de Abril em https://fb.watch/55K5tGFiF4/

Publicidade, Serviços & Donativos