As lutas de Aveiro e do Galitos

1223
Clube dos Galitos, Aveiro.
Smartfire 728×90 – 1

O Estado português continua incapaz de gerar políticas de promoção do desporto e da juventude menos centralistas, mantendo-se inabilitado para ajudar a resolver problemas burocráticos relativos a instalações desportivas, zelosamente complicando assuntos que deveriam ser de fácil burocracia.

Por António Granjeia *

O ano de 2019 que terminou foi um bom ano para o Clube dos Galitos.
Um novo ano vai começar e com ele teremos novas metas para ultrapassar, novos desafios para vencer e, como sempre, sempre problemas para resolver. Vamos, como até aqui, acumular a energia necessária para resolver as dificuldades que nos aparecerem, procurando sempre consensos em diálogo, sendo construtivos e imaginativos, mas sobretudo perseverantes.

É essa a essência da vida quotidiana do clube que exige de todos os dirigentes e seccionistas, muita determinação, uma grande dedicação e muita energia. É sobretudo encarando os desafios como novas oportunidades que devemos prosseguir a nossa ação.

Foi um ano de intensas alegrias, de assumir ainda mais responsabilidades, mas também de muitas conversas sobre o nosso futuro enquanto coletividade que quer continuar a servir Aveiro com dedicação.

A vida do clube – o clube são os sócios

A vida social do Clube prosseguiu com normalidade.
Como sempre temos reiterado, o clube são as pessoas e os sócios o nosso ativo principal. Sem o seu trabalho diligente e abnegado nada do que fazemos seria sequer possivel. Devemos agradecer a todos os que nos ajudaram na gestão das secções e a todos os que acompanharam as equipas pelo seu anónimo, mas eficaz trabalho.

No ano de 2019 o clube continuou a crescer em sócios, atletas, secções e dirigentes. Não queremos crescer só para anunciar mais secções, queremos que as que chegam tenham capacidade de autossustentação. Alguns sócios, muitos deles pais de atletas, deram o seu contributo como seccionistas nas várias modalidades, conseguindo induzir novas dinâmicas nas secções e estimular estruturas de apoio importantes no sucesso das modalidades e secções. Sem a dedicação dos nossos sócios em tarefas tão essenciais, não seria possível proporcionar formação aos quase dois milhares de jovens que participam nas nossas atividades desportivas e formativas.
Destaque para a formação da nova secção de Bridge que entrará em atividade formal no primeiro dia de 2020.

Realce especial para os jantares de natal das diversas secções que reuniram mais meio milhar de sócios, dando uma evidente demonstração da nossa capacidade de mobilização. Os jantares serviram para homenagear todos os atletas, dirigentes e outros amigos do clube que se distinguiram na época anterior.

Um outro processo que pensávamos ter concluído 2019 é a revisão dos estatutos do clube com vista à sua adequação aos tempos atuais. Da parte do clube demos o trabalho como concluído, com a aprovação em Assembleia-Geral e o respectivo registo. Aguardamos ainda resposta dos serviços do Estado que gerem a manutenção do estatuto de utilidade pública outorgado em 1928, relativamente à reactivação deste estatuto. Está a ser um processo muito complexo e onde o contributo de todos os órgãos sociais tem determinante, em particular o empenho do nosso sócio Dr. Armando França. Este é um exemplo onde a insensatez dos funcionários dos órgãos de governação, sem visão local, se expressa em plenitude e atinge os limites do ridículo.

Relacionamento com o Estado

O Estado português continua incapaz de gerar políticas de promoção do desporto e da juventude menos centralistas, mantendo-se inabilitado para ajudar a resolver problemas burocráticos relativos a instalações desportivas, zelosamente complicando assuntos que deveriam ser de fácil burocracia. Já vimos reclamando desta situação há vários anos. As associações são tratadas apenas como contribuintes e não como parceiros essenciais na sua missão de apoiar os cidadãos como prevê a Constituição da Nação.

Na altura de apresentação de mais um orçamento de estado continua-se a não se ter em conta esta enorme força que são as associações. Obrigam-nos a cumprir regras descabidas e anacrónicas perante o propósito das associações, comparando-nos a empresas comerciais que não somos, a preencher vezes sem contas os mesmos formulários para análise de situação, afundando-nos nas teias administrativas de uma interminável burocracia. Os dirigentes não são valorizados pelo inestimável serviço que prestam à comunidade, sendo algumas vezes os bodes expiatórios das incompetências dos decisores públicos.

Valem as atuações mais atentas dos órgãos dirigentes municipais, quer ao nível camarário quer ao nível de freguesia, que vão colmatando as falhas do governo e dando uma ajuda importante.
Cabe aqui realçar os programas de apoio municipal ao desporto que têm sido importantes na dinamização de todas as associações.

Galitos de Fama

Honrar os nossos maiores é lembrar aqueles que antes de nós construíram um Galitos forte, solidário e coeso.

Clube Olímpico

Gino Caetano
Cabe aqui também uma referência especial ao Gino Caetano porque já se apurou para os Jogos Olímpicos de 2020 (natação adaptada) e tem vindo sucessivamente a melhorar as suas marcas de qualificação. O nosso atleta conquistou assim, antes do fim do ano de 2020, a certeza da sua participação paraolímpica e fez com que o seu Clube esteja pela 4ª vez consecutiva representado na maior prova desportiva mundial. O Galitos deve um louvor à empresa empregadora do Gino, a Fisiomanual, pela total disponibilidade que tem tido para compatibilizar os horários de treino do nosso fisioterapeuta e atleta.

O Diogo Carvalho ainda luta para alcançar a sua 4 participação olímpica e estamos empenhados em ajudá-lo nesse propósito.

Outros atletas

Muitos outros atletas se têm distinguido nas modalidades e por isso se tornará complicado mencionar neste pequeno espaço todos aqueles que foram campeões nacionais, que representaram Portugal nas seleções nacionais ou que bateram recordes nacionais. Caberá mencionar Carolina Fernandes que bateu inúmeros recordes Nacionais e vice campeões europeus de Padel, João Nunes e João Grilo.
Distinções
As secções distinguem anualmente os seus atletas e alguns sócios que merecem o apreço de todos pelo seu trabalho presente ou passado. Essas distinções ocorrem em eventos organizados por cada estrutura em reuniões perto da época natalícia e que foram mais uma vez um sucesso. Foram distinguidos, José Pedro Gonçalves na natação, António Romão e Marcelo Azevedo no Basquetebol e Francisco Maia no remo. O Triatlo que este ano comemorou 10 anos de actividade como seçcão homenageou os elementos da 1ª da equipa directiva; Miguel Lopes, Rui Ferreira e Josué Oliveira. Foi também distinguido o atual dirigente Ricardo França pela sua absoluta dedicação.
Todas as secções homenagearam para além destas personalidades, os atletas campeões ou equipas que se distinguiram durante o ano conquistando títulos nacionais ou regionais para o clube, todos os recordistas nacionais, e integrantes de seleções nacionais.

Muitas e boas alegrias…

Globalmente o Clube dos Galitos conquistou em 2019 um impressionante palmarés nas modalidades que pratica.
56 títulos de campeão nacional
1 título de Vice-Campeão europeu
18 recordes nacionais.
15 atletas representaram as seleções nacionais
Por modalidade deixamos a sua distribuição.

Na natação conquistámos individualmente:
12 Títulos Nacionais
17 Títulos Nacionais Masters
12 Títulos Nacionais Natação Adaptada
16 Títulos Zonais
146 Títulos Regionais
18 Recordes Nacionais
72 Recordes Regionais

Como equipa fomos:
Campeões Nacionais da 2ª Divisão (época 2019/20)
Fomos Campeões Regionais de Clubes
Vencedores Taça ANCNP
6º Classificados na 1ª Divisão Feminina (este ano queremos melhorar)
6º Classificados na 2ª Divisão Masculina (este ano queremos ganhar e subir)
6 Presenças em representação da Seleção Nacional

Lutas antigas com alguns avanços

Mais um ano terminou e as nossas lutas de sempre, as lutas de Aveiro e do Galitos, embora ainda não resolvidas parece terem dado um pequeno salto fruto do empenho da Câmara Municipal e sobretudo do seu presidente.

O posto náutico da lota embora continue à espera de acessos condignos que ajudem à chegada mais confortável dos atletas e seus pais, principalmente no inverno, teve um compromisso autárquico para a construção no local que ocupamos de um novo posto náutico digno desse nome. Constituímos uma equipa especial para atacar este problema com a energia que ele merece, tendo já produzido um estúdio prévio para que a cidade e o clube possam vir a ter centro náutico de excelência, à semelhança daqueles em que todas as cidades congéneres já investiram.

No momento actual a CMA e o Governo negoceiam as condições de cedência do espaço da lota e só depois disso se poderá partir para a tomada de decisões mais concretas.
O incremento da secção náutica tem-se feito mesmo nas deploráveis condições de acesso existentes, pelo que não conseguimos imaginar o que seria possível evoluir com uma conjuntura mais propícia no acesso ao posto náutico. Só com as condições melhoradas será possível manter um Remo aveirense aberto e virado para a Cidade e Turismo.

A questão da piscina do Bairro do Liceu, depois de transferida a propriedade para a esfera municipal, está neste momento a ser objeto dos estudos de engenharia para a sua requalificação que foi um compromisso desta autarquia. A piscina no centro da cidade manterá a gestão do Galitos e possibilitará a continuação do trabalho de uma das mais importantes equipas de natação nacionais.

Mas também não desistimos de pedir à cidade uma piscina municipal que potencie o trabalho de excelência que o clube tem feito na natação. Temos a garantia que avançará no próximo mandato autárquico pelo que temos vindo a ajudar a CM sobre a topologia que esta deverá ter.

Projetos bandeira.

Temos sido pioneiros em projetos diferentes e inovadores que nos trazem valor.
O remo de lazer tem já um grupo fixo de aveirenses que todos os domingos praticam o remo ao mesmo tempo que passeiam na nossa ria. Esperamos que este grupo seja o embrião dum projeto que possa crescer cada vez mais, transformando o remo de lazer numa oferta consistente de turismo náutico.
A participação activa e empenhada do Galitos na Estação Náutica de Aveiro (ENA), projeto liderado pela Câmara Municipal, está a abrir perspetivas de crescimento para o remo de lazer, uma vez que atingindo um público alvo atento ao desporto de natureza, poderá integrar lógicas de desenvolvimento até agora nunca atingidas. O Clube dos Galitos foi desde a primeira hora um colaborador entusiasta da autarquia neste valioso projeto que agrega muitas outras entidades em rede.

A implantação e desenvolvimento de desporto MASTER tem sido um dos projetos acarinhados pelas diversas secções e que tem já raízes bem estabilizadas no Galitos. O Basquetebol voltou a ter um ano de glória, o Padel e a Natação continuam com níveis de atratividade interessantes e com títulos nacionais.
A certificação das nossas escolas de formação é o nosso projeto estruturante que tem dado passos seguros e que assegurará a qualidade formativa que procuramos. Mantivemos em 2019 todas as certificações conquistadas e aguardamos que as federações abram novos projectos.

Renovamos a nossa participação no Mapa da Inclusão Desportiva do Comité Para-olímpico de Portugal com as secções de remo e natação.

Bom Ano Novo de 2020 e Pelo Galitos Canta, Canta!

* Presidente da direção do Clube dos Galitos (Ler a versão deste artigo completa).