18ª oitava condenação faz regressar larápio à cadeia para mais dois anos e meio

414
Tribunal de Aveiro.

Um homem de 46 anos foi condenado, esta tarde, pelo Tribunal de Aveiro a dois anos e meio de cadeia, a cumprir, por tentativa de furto qualificado.

Depois de arrombar uma porta à marretada, o larápio deitou a mão a vários artigos (dois tablets e dois auscultadores) mas foi surpreendido pelo dono da residência na Gafanha da Nazaré, em Ílhavo, no preciso momento em que estava a sair com uma mochila às costas. O assalto remonta a novembro do ano passado.

Retido no local, seria detido pela GNR e depois de ouvido em interrogatório judicial ficou em preventiva. E será nessa condição que se manterá a aguardar o trânsito em julgado daquele que foi a 18ª condenação, a primeira das quais remota a 1989, ainda menor. A grande maioria dos casos por furtos.

O homem beneficiou, no último processo, de uma alteração da qualificação jurídica do crime que lhe estava imputado, inicialmente um furto qualificado consumado.

O juiz presidente entendeu que, não tendo deixado o local, por força da presença do proprietário da casa, deve ser condenado na forma tentada, com uma moldura penal mais leve.

“As condenações sucessivas nunca foram suficientes para se afastar do crime. Tem uma grande fragilidade devido a dependências de drogas e álcool, deve aproveitar o tempo na cadeia para se tratar. Você mesmo disse ‘ainda bem que me prenderam’. Sabe que o seu estado não era compatível com liberdade”, referiu o juiz presidente na alocução final.

Em tribunal, o homem assumiu o assalto, embora garantindo que estaria alcoolizado e apenas se recorda de acordar na cela da GNR.

Publicidade, Serviços & Donativos