Juventude Socialista critica gestão da CIRA na execução do PART

239
Transportes (imagem genérica).

A Federação Distrital de Aveiro da JS destaca a importante medida social promovida pelo Governo, que permitiu em diversas Comunidades Intermunicipais e nas duas Áreas Metropolitanas uma efetiva redução do tarifário praticado, e que, em praticamente todas estas, houve a preocupação real de abranger o maior número de utilizadores dos meios de transporte públicos. Infelizmente esta preocupação não foi tida em conta pela Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, liderada pelo Eng. Ribau Esteves.

A Federação de Aveiro da JS entende que este Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) permitiu a muitos portugueses uma poupança significativa e a bastantes agregados familiares uma redução absolutamente extraordinária, e possibilitando, desta forma, a utilização de transportes públicos a custos acessíveis e, ao mesmo tempo, promovendo a mobilidade sustentável, com o objetivo de atingir a neutralidade carbónica até ao final da primeira metade deste século como sinal de compromisso e empenho no cumprimento do Acordo de Paris.

A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, pese embora tenha anunciado reduções de 50% em vigor desde 1 de Maio, que saudamos apesar de tardia, entendeu deixar de fora deste programa o meio de transporte mais utilizado na Região: o transporte ferroviário. Mas foi mais longe: excluiu o passe familiar do elenco dos descontos previstos e não implementou os passes únicos.

“Não quero acreditar que a CIRA, pela voz do Eng. Ribau Esteves, tenha decidido excluir a grande maioria dos cidadãos da Região deste importante programa de redução tarifária só porque o mesmo foi promovido por um Governo do Partido Socialista”, destaca Joana Sá Pereira, Presidente da Federação Distrital de Aveiro da JS.

A Juventude Socialista de Aveiro entende que é igualmente prioritário o alargamento do apoio às carreiras inter-regionais, designadamente ao território da Área Metropolitana do Porto, que tem um fluxo diário assinalável, quer para quem todos os dias se desloca para o Porto ou para o norte do distrito de Aveiro para trabalhar, mas, igualmente, para todos os jovens da Região que utilizam o transporte público para se deslocarem para as Universidades de Aveiro e do Porto. Mas também se revela essencial a inclusão do transporte público ferroviário no caso da CIM Região de Coimbra, uma vez que o transporte público rodoviário é praticamente inexistente.

A Federação de Aveiro da JS apela à vontade da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro e dos Municípios para irem mais longe, e promoverem uma efetiva poupança às famílias e aos jovens da Região de Aveiro, fomentando, igualmente, uma importante e necessária coesão entre os territórios (fora e dentro do Distrito), por via da mobilidade.

JS Distrital de Aveiro

Publicidade, Serviços & Donativos