Viagens sem cobrança de bilhete na Linha do Vouga

1048
Estação de São João da Madeira.

Fomos alertados, entre tantas outras, para uma nova situação, que tem tanto de caricata como de preocupante, e que tem que ver com o facto de os revisores se verem impossibilitados de realizarem a cobrança de bilhetes aos passageiros por falta de… máquinas de emissão de bilhetes a bordo!

Quando se pensa que já se viu de tudo na Linha do Vouga, há sempre algo de novo que abala o futuro desta via férrea centenária, que se vê, tal como os funcionários que nela trabalham, serem constantemente desrespeitados e como que “chutados para canto” pela entidade responsável pela prestação do serviço de transporte de passageiros.

Numa linha que tem vindo a perder passageiros de ano para ano, é triste que em pleno século XXI ainda se permita que situações destas aconteçam.

O nosso apelo vai não apenas para a entidade responsável, mas também para todas as autarquias servidas por esta linha, para que se preocupem menos com questões eleitoralistas, nomeadamente com a requalificação da linha, e se preocupem mais em garantir que, dentro da atual realidade, os funcionários da Linha do Vouga trabalham em condições dignas, para que possam prestar o melhor serviço possível a todos aqueles, ou aos poucos, que ainda recorrem a este meio de transporte.

Movimento Cívico pela Linha do Vouga