“Valsas portuguesas” e cancioneiro marítimo dão mote à segunda edição da MILHA em Ílhavo

368
'Faina', evento MILHA - Ílhavo.

Se na estreia da MILHA, em 2017, se celebrou o 60.º aniversário de Carlos Paião, este ano, na segunda edição da festa dos músicos e da música de Ílhavo, a música é outra: são as trocas musicais no contexto da pesca do bacalhau dos anos 50 e o cancioneiro que envolve a temática marítima que dão o mote a três centenas de músicos ilhavenses e a três criações únicas para o festival.

O evento anual, promovido pela Câmara Municipal de Ílhavo, organizado pelo 23 Milhas, projeto cultural do Município, e pela “Cais do Som”, decorrerá durante três dias, de 2 a 4 de novembro, em Ílhavo e na Gafanha da Nazaré. Convocam-se escolas de música, bandas, músicos a solo, filarmónicas, grupos de dança e até uma dupla de djs para celebrar e estimular a música em Ílhavo, sem desprezar o sempre presente legado do músico Carlos Paião.

À temática marítima, naturalmente ilhavense, juntou-se a proposta de Richard Simas, investigador e musicólogo americano, luso-descendente, que fez um levantamento etnográfico sobre os portugueses e as suas trocas na Terra Nova e encontrou uma peça de música tradicional de St. Johns, intitulada “Portuguese Waltzes”. Esse legado foi deixado por um pescador ilhavense da “Frota Branca” e Art Stoyles, um acordeonista local, apreendeu-a e tornou-a parte do seu repertório.

Quer estas “valsas portuguesas”, como um vasto cancioneiro do mar, disponibilizado pelo Museu Marítimo de Ílhavo, foram o material de trabalho dos 14 grupos e artistas desafiados a tocar na MILHA.

Destaque para os espetáculos de criação “Maré de Solistas”, em que um documentário marítimo é sonorizado ao vivo por cinco músicos locais, “O Canto das Escadas” que junta o cantor Ricardo Fino, o Orfeão da Santa Casa da Misericórdia de Ílhavo e o coreógrafo Luíz Antunes, e ainda “Faina” que une vozes de vários estilos musicais, do pop rock à música popular, aos grupos de folclore do concelho de Ílhavo, orientados pela coreógrafa Susana Gaspar.

Na MILHA atuam ainda os Edevez, André Imaginário e Vanessa Oliveira, This Fallen Curse, Vulto e os Whitenoise. Toda a programação segue em anexo.

A MILHA tem entrada livre mas limitada à lotação dos espaços.