Tribunal com ´mão pesada´ para assaltantes

887
Guarda-prisional (imagem de arquivo).
Smartfire 728×90 – 1

O Tribunal de Aveiro condenou a penas de prisão quatro arguidos acusados de vários assaltos a estações de correios e bancos nos distritos de Aveiro e Leiria. Os indivíduos terão de pagar 12.500 euros aos lesados. Três assaltantes, já na cadeia, ficaram com 15 anos cada.

O quarto, atualmente em liberdade, viu-lhe ser aplicada uma pena de seis anos. Foi o único a falar no julgamento. Na altura, negou o envolvimento nos roubos e pôs em causa o reconhecimento feito pela Polícia Judiciária (PJ).

O grupo estava acusado pelo assalto à mão armada ocorrido há um ano na estação dos CTT de Albergaria-a-Velha.

Os indivíduos, todos com passado criminal, terão participado em outros cinco roubos à mão armada nos distritos de Aveiro e Leiria. Entre os estabelecimentos assaltados estão as estações dos correios em Bustos (Oliveira do Bairro), Curia (Anadia), Amor (Leiria) e Louriçal (Pombal), bem como uma agência bancária localizada em Pataias (Alcobaça). A PJ apreendeu veículos, armas, bem como disfarces usados na prática dos crimes.

Os detidos têm idades entre os 52 e 62 anos, estando sujeito a prisão preventiva.

Todos os arguidos têm um vasto passado criminal, tendo cumprido penas de prisão efetiva por tráfico de droga, homicídio e roubo. Um dos arguidos encontrava-se evadido do estabelecimento prisional de Coimbra desde outubro de 2016, onde estava a cumprir uma pena por assaltos a bancos e estações dos CTT.

A acusação atribui três arguidos cinco assaltos a estações dos CTT em Oliveira do Bairro (16 de janeiro), Leiria (8 de fevereiro), Pombal (13 de março), Albergaria-a-Velha (10 de abril) e Anadia (24 de abril). Um dos indivíduos ficava no exterior, dentro do automóvel, pronto a arrancar, enquanto os outros dois entravam nos postos dos Correios, um com uma pistola e outro com uma caçadeira, e roubavam o dinheiro que seria repartido por todos.

Em algumas situações, os assaltantes terão chegado a ameaçar os clientes, dizendo-lhes para olharem para o chão, ou davam-lhes um tiro.

No total, de acordo com a investigação, os arguidos roubaram mais de 22 mil euros. O grupo é ainda suspeito de ter assaltado a dependência do Banco Santander Totta em Pataias, Alcobaça, em 8 de março de 2017, com a ajuda do quarto elemento, mas, neste caso, abandonaram o local sem levar nada, porque não conseguiram aceder ao cofre onde estava o dinheiro.