Suspeito de fogo florestal em Sever do Vouga por vingança ficou em prisão preventiva

1314
Estabelecimento Prisional de Aveiro.

Um homem de 58 anos suspeito dos crimes de incêndio florestal, tráfico de estupefacientes e posse de arma proibida ficou em prisão preventiva, anunciou hoje a Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro.

Segundo informação do Departamento de Investigação Criminal (DIC) de Aveiro, o indivíduo foi detido fora de flagrante deliito, no seguimento da comunicação da ocorrência de um incêndio florestal no concelho de Sever do Vouga durante a madrugada do passado dia 5 de julho.

Além de “fortemente indiciado pela autoria desse incêndio”, o homem estará na origem de dois outros ocorridos num curto espaço de tempo na mesma zona, que totalidade consumiram cerca de seis hectares de mancha florestal composta por eucaliptos e pinheiros.

“A detenção ocorreu na passada quinta-feira dia 3 de setembro, dando cumprimento a mandados de detenção emitidos pelas autoridades judiciárias competentes no Ministério Público de Albergaria-a-Velha” refere a PJ.

O homem, que é natural e residente em Oliveira de Azeméis, não possuía atividade profissional definida, estando desempregado há cerca de dois anos.

“A motivação terá sido por vingança, na sequência de um relacionamento de alguns anos, com coabitação entre o suspeito e a proprietária de parte dos terrenos ardidos, que terá terminado há mais de quatro anos, sendo que desde essa altura ocorreram diversas denúncias por danos diversos e injúrias, por o arguido nunca ter aceite o fim da relação”, refere a PJ.

Devido a suspeitas que também se dedicava ao tráfico de estupefacientes e era possuidor de armas de fogo, foram realizadas buscas domiciliárias que permitiram apreender “diversas munições para armas de fogo e cerca de novecentas gramas de folhas de canábis que se encontravam em processo de secagem.”

Publicidade, Serviços & Donativos