#Stopidadismo

268
Imagem retirada de https://psicologiadoidoso.wordpress.com.
Smartfire 728×90 – 1

Entusiasmados com o movimento iniciado em Espanha – #StopEdadismo e desafio da OMS – #Aworld4AllAges – fomos somando contactos e adesões ao recém criado e vincadamente orgânico movimento cívico #StopIdadismo.

Por José Carreira, Bruno Esteves e Ricardo Bordon *

Ao ler o Entre Mayores (fevereiro de 2021), jornal especializado nas pessoas idosas, nos profissionais e nas empresas do setor sociosanitário, ao chegar à página 13, deparei-me com um rosto distinto, marcado por um olhar lindo.

Pontificaram dois belos olhos azuis e uma mensagem chave: #STOPEDADISMO. Tratava-se de uma campanha lançada pela ASISPA – Atención a Personas com o objetivo de chamar a atenção para a terceira causa de discriminação mais comum no mundo: o idadismo.

Aceitei o desafio: “Junta-te ao movimento #StopEdadismo”. O Bruno e o Ricardo, aceitaram o repto: “Amigos parar o idadismo está nas nossas mãos!”. Do primeiro contacto com a ASISPA à nossa primeira ação, “Qué sociedad construimos sin los mayores” – Mesas de reflexão contra o idadismo, não tardou uma semana. Unimos forças e decidimos replicar o movimento em Portugal, assim surgiu o projeto #StopIdadismo com foco nos países de línguas oficiais portuguesa e espanhola.

Também em março foi publicado, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras agências das Nações Unidas, o relatório Global Report on Ageism que concluiu que uma em duas pessoas discrimina pessoas idosas, com atitudes que agravam a sua saúde física e mental e reduzem a sua qualidade de vida.

Perante esta realidade, que afeta um número cada vez maior de pessoas em todo o planeta, e considerando a aceleração do envelhecimento da população, a OMS fez um apelo por iniciativas que combatam o chamado idadismo, comportamento que ficou ainda mais evidenciado com a pandemia de Covid-19.

Entusiasmados com o movimento iniciado em Espanha – #StopEdadismo e desafio da OMS – #Aworld4AllAges – fomos somando contactos e adesões ao recém criado e vincadamente orgânico movimento cívico #StopIdadismo.

Rapidamente um conjunto de organizações sociais e meios de comunicação de países iberoamericanos reuniram as condições necessárias para lançar o Movimento Global #stopidadismo.

Em Portugal a IPSS Obras Sociais de Viseu, a ONG Together International Portugal, as revistas Envelhecer, Bica e AmoViseu somaram-se à campanha que acabou por cruzar o Atlântico com as adesões, no Brasil, do Portal Longevinews, Aptare e 50 Mais Aprendiz Digital. As adesões não param de acontecer e a iniciativa também conta com apoios na Argentina, Cuba, México, Panamá, Venezuela, Chile e El Salvador.

O objetivo central do movimento #stopidadismo é produzir e difundir informações, reflexões, dados atualizados e outros elementos que contribuam para ações organizadas de combate ao idadismo. As mensagens e informações produzidas e partilhadas pelos parceiros da campanha #stopidadismo serão disseminadas pelas redes sociais e pelos veículos próprios das organizações associadas.

O IDADISMO PODE COMBATER-SE!

MOVIMENTO #STOPIDADISMO!

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.