Revisão da Carta Educativa sem reflexos no novo ano letivo

311
Escola Básica, em Cacia, Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

O PS acordou ontem “o processo” de revisão da Carta Educativa que encontra-se “adormecido há alguns meses” solicitando à Câmara “um ponto de situação”.

O vereador Manuel Oliveira de Sousa aproveitou a reunião do executivo pública para saber se a proposta está finalizada ou ainda aguarda ‘inputs’ para aprovação e quais os reflexos, neste caso, no novo ano letivo.

Na resposta, o líder da edilidade adiantou que a “nova versão” da Carta Educativa está agendada para discussão no Conselho Municipal de Educação de 24 de junho já com “opções” tomadas “nos cenários das alternativas” e outro trabalho adiantado, podendo seguir-se a aprovação final pela Câmara.

“Em relação a algumas matérias que dependem do Governo”, será necessário um compasso de espera pelas eleições legislativas.

No que respeita ao novo ano letivo não há mudanças, nomeadamente no que toca ao parque escolar. “Sem nenhum alteração na estrutura e prestação de serviços das escolas”, vincou Ribau Esteves.

Insegurança viária e ferroviária

Já o vereador João de Sousa deixou alguns alertas para problemas em rodovias. A passagem superior que dá acesso da rotunda da Junqueira ao Paço, em Cacia, está com proteção provisória a fazer de varandim há meio ano, com riscos para a segurança.

O eleito socialista aludiu também à necessidade de reforçar a segurança no atravessamento da linha do Vouga, em certos locais de Esgueira onde passam pessoas a pé.

Por último, estranhou a falta de limpeza do recinto do parque de feiras após a Feira dos 28 e outros eventos.

Sobre a passagem de superior, o presidente da Câmara disse que está decidido mudar todo o varandim, na ordem dos 80 mil euros, para repor as condições de segurança.

Na linha do Vouga, “o problema é mais complexo” porque a Infraestruturas de Portugal “não liga nada a isto”, lamentou Ribau Esteves, lembrando que existem pedidos para mudar estações e “legitimar” travessias pedonais sinalizadas onde agora é proibido, evitando os “improvisos”.

Quanto aos problemas no parque de feiras, há “um trabalho em curso” com os vendedores para recolher o lixo e procura-se que a equipa de limpeza atue mais rapidamente.

Artigo relacionado

Aveiro / Carta Educativa: Presidente incomodado com tónica no fecho de escolas

Publicidade, Serviços & Donativos