Rede de supermercados Mercadona regista aumento de vendas

2977
Abertura do Mercadona, Aveiro.

A Mercadona, empresa de supermercados com presença destacada de lojas na região de Aveiro, “aumentou as suas vendas consolidadas em superfície constante em 11% em 2022, para os 31.041 milhões de euros”.

“Deste total, 30.304 milhões correspondem à faturação da empresa em Espanha e os restantes 737 milhões de euros são relativos à faturação em Portugal, onde conta já com 39 lojas”, avança a cadeira de supermercados num comunicado sobre as contas do exercício do ano passado.

A empresa criou nos últimos meses “mais de 3.000 novos postos de trabalho estáveis e de qualidade, 1.000 dos quais em Portugal, o que lhe permitiu fechar o ano com uma equipa de 99.000 pessoas, todas com contrato efetivo.”

Para garantir o seu poder aquisitivo, no âmbito do Modelo de Qualidade Total, a Mercadora “melhorou tanto o salário base como os complementos existentes de toda a equipa, o que resultou num aumento salarial em linha com o IPC de cada país, concretamente 5,7% em Espanha e 9,6% em Portugal – país onde, além disso, o salário de entrada na empresa também aumentou 11%.”

Uma das rentabilidades mais baixas da sua história

» Em 2022, a empresa trabalhou, em conjunto com os fornecedores com os quais colabora, para se adaptar ao complexo contexto derivado do aumento dos preços da energia e também das matérias-primas, com o consequente impacto no preço de custo dos produtos na origem. Para minimizar o impacto desta inflação nos preços de venda ao público, a empresa implementou inúmeras medidas para reduzir custos e multiplicar a eficiência, o que lhe permitiu melhorar a produtividade em 7% face a 2021, melhorando, uma vez mais, a gestão da empresa. Exemplos disso são o desenvolvimento do DPP, uma ferramenta que representou um investimento de 5 milhões de euros, e que permite saber exatamente os custos inerentes a cada produto, em cada um dos seus processos, bem como a sua rentabilidade; ou a consolidação do Modelo de Organização de Lojas para, de forma científica, alocar a cada etapa de venda ou secção as pessoas necessárias para cada tarefa, o que implica melhorias importantes para o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal dos colaboradores de loja.

Contribuição tributária histórica (mais 12%)

» As contribuições fiscais da Mercadona em Portugal e em Espanha foram históricas: 2.263 milhões de euros, mais 12% do que em 2021. Ao analisar detalhadamente esta contribuição, destaca-se o IVA, que cresceu para 418 milhões de euros, mais 26%; ou o IRS dos colaboradores, correspondente a 443 milhões de euros, mais 12%.
Além disso, a empresa aumentou a sua contribuição direta em 13%, para os 390 milhões de euros; e pagou um total de 240 milhões de euros Imposto de Sociedades e IRC, mais 22%. Da mesma forma, pioneira na sua política de partilha dos lucros gerados com os colaboradores, distribuiu um total de 405 milhões de euros com toda a sua equipa, mais 8% do que no ano anterior.
O lucro líquido do grupo situou-se em 718 milhões de euros. Este valor representa um aumento de 5%, praticamente metade do aumento registado pelas vendas (+11%), validando o esforço feito pela empresa para conter a inflação através da otimização e redução das margens e da rentabilidade (ler comunicado completo).

Memória anual de 2022 da Mercadona.

Artigo relacionado

Fixar teto máximo de preços? “É uma ilusão”, diz presidente da Mercadona

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.