PSD recomenda ao governo obras urgentes no bloco operatório de Ovar

412
Hospital de Ovar.
Smartfire 728×90 – 1

A deputada do PSD Carla Madureira entregou na Assembleia da República um projeto de resolução que recomenda ao governo o início urgente do processo que promova as necessárias obras no bloco operatório do Hospital Dr. Francisco Zagalo, de Ovar. A parlamentar social democrata recorda que a intervenção é reclamada há muito e é indispensável ao bom funcionamento da unidade hospitalar.

Carla Madureira sublinha a importância desta obra num concelho particularmente afetado pela crise pandémica associada à doença COVIDE-19, que agravou uma já depauperada situação dos cuidados de saúde na região, com o encerramento do serviço de urgência e a redução do horário da consulta aberta no Centro de Saúde, com o consequente fecho das farmácias no período noturno.

“As obras no bloco operatório são reclamadas há muito e é consensual a constatação de que são indispensáveis ao bom funcionamento do hospital” – pode ler-se no texto que suporta o projeto de resolução, no qual é recordado que “o processo é longo e, já em 2018, a então secretária de Estado da Saúde Rosa Matos assegurava, em Ovar, que o investimento do governo na requalificação do bloco operatório do Hospital Francisco Zagalo seria uma realidade, anunciando, até, que avançariam no primeiro semestre do ano seguinte”. Todavia – acrescenta –, “até hoje, não houve obra nem, tão pouco, concurso para o efeito”.

O projeto de requalificação do bloco operatório – que se estima poder custar cerca de 1,2 milhões de euros – está concluído desde 2018. As obras são, de acordo com o projeto de resolução, “de extrema importância para a região, até porque as condições atuais limitam sobremaneira a ação do hospital, pondo em causa a sua sustentabilidade futura e a qualidade do serviço prestado à população”.

“O povo de Ovar não pode ser condenado a esta sensação de abandono no que toca aos cuidados de saúde. Impõe-se acabar com esta insegurança, que não é apenas uma consequência da pandemia, mas, e sobretudo, uma constatação real do que tem acontecido no concelho na área da saúde” – lê-se no documento agora entregue no Parlamento.

O projeto de resolução historia o drama vivido pela população do concelho de Ovar, um dos mais afetados pela crise pandémica associada à doença do COVID-19, tendo sido o único no território continental ao qual foi imposto um cerco sanitário, deixando um rasto de consequências nefastas, que vão desde o setor da economia ao da saúde. “Uma delas – das mais marcantes – foi o encerramento de diversas extensões de saúde que servem o concelho” – sustenta o documento submetido à discussão da Assembleia da República.

“A população do concelho de Ovar sente-se abandonada e desprotegida no que toca aos cuidados de saúde, porquanto estamos a falar de serviços de proximidade fundamentais, que não poderão permanecer indefinidamente encerrados” – conclui o documento subscrito pela deputada Carla Madureira, recordando que, mesmo antes da pandemia, “já tinha sido encerrado o polo de Maceda da USF Laços, ao que se junta o facto de o hospital local ter perdido o serviço de urgência, o que coincide com a redução do horário do serviço de consulta aberta no centro de saúde, que teve como primeira consequência o facto de as farmácias de Ovar terem deixado de assegurar o serviço noturno”.

PSD – Grupo parlamentar.

Publicidade, Serviços & Donativos