Professora que matou filho recém-nascido em silêncio no julgamento

926
Tribunal de Aveiro.

A mulher de 49 anos que começou hoje a ser julgada pela terceira vez, no Tribunal de Aveiro, pela morte do filho recém-nascido, ocorrida há nove anos, optou por remeter-se novamente ao silêncio no julgamento.

O Procurador do MP considerou que os factos apurados não levam ao crime de infanticídio, defendendo que a arguida tem de ser condenada pelo crime de homicídio.

Continuar a ler artigo da Agência Lusa via Notíciasaominuto.com.

Artigo relacionado

Professora volta a tribunal por matar bebé

Publicidade, Serviços & Donativos