Penas efetivas para cinco arguidos acusados de roubos, posse de armas e tráfico de droga

801
Tribunal de Aveiro.
Magneton 728

O Tribunal de Aveiro condenou, ao princípio da tarde, seis dos oito arguidos que responderam num processo por tráfico de droga, roubos e posse de armas proibidas.

Dos condenados a cadeia, cinco ficaram com penas entre sete anos e seis anos e três meses, tendo pesado os antecedentes criminais, incluindo dois arguidos que cometeram os crimes objeto de julgamento quando gozavam da suspensão de penas.

Um sexto arguido, à data dos factos com 21 anos e com antecedentes apenas por condução sem carta, foi condenado a dois anos e meio por tráfico e posse de arma proibida, ficando com a pena suspensa.

Duas pessoas foram absolvidas, uma por tráfico e outra por posse de arma (a única mulher envolvida).

O tribunal condenou quatro arguidos a pagarem solidariamente 4 mil euros a uma mulher vítima de roubo.

Para além dos dois absolvidos, o coletivo de juizes deu como não provados vários crimes que estavam imputados a alguns dos acusados (roubo, posse, furto qualificado), mas que não deixaram de ser condenados por outras situações.

Os arguidos, que têm entre 21 e 53 anos, responderam pela prática de dois roubos violentos alegadamente relacionados com ajustes de contas em negócios de droga, como referiu na altura a Polícia Judiciária.

Os roubos à mão armada ocorreram abril e maio de 2018, tendo como alvo residências situadas na Gafanha da Nazaré, em Ílhavo.

Os assaltantes entravam nas casas com o rosto tapado e agrediram os moradores com murros e pontapés, tendo fugido com dinheiro, telemóveis, eletrodomésticos e peças em ouro.

Os suspeitos foram detidos em setembro de 2018, no âmbito de uma operação de combate à criminalidade violenta coordenada pela PJ. Durante as buscas, foram apreendidas armas, droga e dinheiro.

Artigo relacionado

Processo dos roubos para cobrar dívidas de droga chega a tribunal

Publicidade, Serviços & Donativos