O que as empresas esperam do Observatório do Emprego?

582
Imagem (arquivo).
Smartfire 728×90 – 1

Os resultados das atividades de auscultação e prospeção desenvolvidas permitirão desenhar programas de qualificação curtos direcionados para as necessidades específicas dos sectores da TICE, Indústria e Turismo/ Serviços, bem como para jovens graduados de diversas áreas do conhecimento.

Observatório do Emprego da Universidade de Aveiro *

O Observatório do Emprego, no contexto do projeto Aveiro STEAM City tem, entre os seus objetivos, criar e desenvolver conhecimento sobre o futuro das ocupações e profissões, mais concretamente no que diz respeito às dinâmicas de oferta e procura de capital humano em Aveiro.

Através da disponibilização, de forma sistemática, aos cidadãos, às instituições de ensino e formação, bem como às empresas e restantes stakeholders, a informação sobre as necessidades de competências exigidas no mercado de trabalho para a transformação digital.

Mas o que é que as empresas esperam do Observatório do Emprego? Foi essa uma das questões abordadas durante as entrevistas realizadas com empresas do setor TICE (Tecnologia da Informação, Comunicação e Eletrónica), Indústria e Turismo/Serviços.

Estas entrevistas visaram, em primeiro lugar, identificar as prioridades de competências digitais no território de Aveiro e a sua disponibilidade local, onde as empresas foram chamadas a falar sobre as dificuldades que sentem, nos três sectores envolvidos, para encontrar essas competências em Aveiro.

De uma forma geral, as empresas entrevistadas esperam que o Observatório do Em-prego desempenhe um papel de divulgação e criação de conhecimento, criando bases sólidas para tomar decisões sobre as necessidades de desenvolvimento e aposta contínua nas áreas da transformação digital.

Mas, mais especificamente, também foi mencionado o papel como influencia-dor na definição e prospetiva sobre a os perfis profissionais que as empresas do território mais necessitam, esperando-se um papel relevante na criação de conhecimento para informas as decisões estratégicas principalmente ao nível da oferta formativa de base (no ensino superior e no técnico-profissional).

Segundo a visão das empresas entrevistadas também, o Observatório do Emprego deve ter o papel de desenvolver atividades de prospeção relativamente às alterações funcionais que os perfis profissionais vão tendo.

Muitas funções mudam não a sua designação, mas as funções a si associadas e o Observatório á apontado como algumas empresas como a entidade privilegia-da para fazer o levantamento e divulgar esta informação junto das organizações da região.De forma mais geral, as empresas entrevistadas têm uma visão do papel do Observatório do Emprego de Aveiro que coincide com a sua missão.

Os resultados das atividades de auscultação e prospeção desenvolvidas permitirão desenhar programas de qualificação curtos direcionados para as necessidades específicas dos sectores da TICE, Indústria e Turismo/ Serviços, bem como para jovens graduados de diversas áreas do conhecimento.

É também da análise de conclusão destes dados recolhidos que emergem as necessidades do mercado de trabalho local para a transformação digital.

Assim sendo, o Observatório do Emprego de Aveiro pretende contribuir igualmente para a redução da desigualdade entre o que é necessário par ao mercado de trabalho e o que é oferecido pelos trabalha-dores no que diz respeito às competências exigidas para a transformação digital, tendo em vista aumentar as oportunidades de emprego, a competitividade do território e a melhoria da qualidade de vida dos seus cidadãos.

* Newsletter do mês de julho de 2020 disponível em https://uaonline.ua.pt/upload/med/joua_m_6684.pdf

Publicidade, Serviços & Donativos