O Festival dos Canais ainda gatinha…

2060
Festival dos Canais 2019.
Dreamweb 728×90 – Video I

Para quarta edição, o Festival dos Canais, que considero ter um potencial excelente, ainda gatinha, ainda dá mostras de algum amadorismo e falta de organização em aspetos chave.

Por Sara Tavares *

É muito bom ver Aveiro cheio de cor e alegria, é sim, e de que maneira, estes 5 dias de festival dos canais, perdão, de festival do canal foram, sem dúvida, uma mais valia para a nossa cidade, ficar-me-ão na memória alguns espetáculos excelentes. Não obstante… a quarta edição do festival deveria andar já de pé e não ainda gatinhar.

Vejamos então por que razão ainda gatinha. Para organização anual, a divulgação em papel não deveria ser, na minha perspetiva tão tardia, até porque eu sou daquelas pessoas que ainda pega no programa e sublinha os espetáculos que quer ver, com o intuito de perder o menos possível, uma vez que existem espetáculos à mesma hora e necessito de ordem no meu programa. Já agora, um mapazito dos locais fazia jeito para aquelas pessoas que nos visitaram e que não conhecem os locais, onde iriam decorrer os eventos.

E por falar em locais, que boa ideia que os espetáculos sejam feitos no canal, nas ruas, nas praças, numa ponte, nos jardins, nas escadas do Távora, é uma boa surpresa, dá vida ao festival, é verdade, não obstante, a organização deveria ter acautelado que os espaços fossem adequados ao visionamento dos mesmos, por grande pena minha não consegui ver alguns devido ao facto dos artistas estarem ao mesmo nível do público, o que só permitia que as pessoas da frente pudessem desfrutar do espetáculo.

Outra sugestão para o próximo ano, o cumprimento dos horários. É o mínimo! Claro que pode haver contratempos, o vento de Aveiro às vezes é cruel, toda a gente sabe disso. Toda , toda a gente, não direi… alguns artistas e técnicos contratados não conheciam o nosso vento, e isso foi notório, na medida em que se observaram alguns contratempos com algumas peças de arte e dificuldades no som. O som de alguns concertos regrediu face a edições anteriores do festival.

Depois de tanto chamar de atenção na Assembleia Municipal, gostei de ver a preocupação em acautelar mais transportes para a população de S. Jacinto poder assistir aos concertos, já só falta estender para as outras freguesias também com dificuldades de transporte em horário noturno. Espero ver isso em 2020.

Apreciei, igualmente o facto de ver alguns artistas aveirenses. É sempre bom ver a prata da casa.

O que não gostei de ver, foram os copos de plástico espalhados pelos recintos dos concertos. Acho mesmo que a quarta sessão dos canais já devia ter aprendido com os municípios vizinhos e mandado fazer copos em cerâmica reutilizáveis, até poderiam ter feito um concurso para o design dos mesmos e, poderia ser um souvenir distintivo da nossa cidade, para os de cá e para os de fora de Aveiro lembrarem a edição. Acresce o facto de minimizar lixo e poluição.

A fechar os canais, houve também algum desnorte devido à falta de informação, muitos esperaram pelo fogo de artifício final no Cais da Fonte Nova e este teve lugar no Rossio. Não critico a escolha do local, mas sim o facto de não se saber onde iria acontecer efetivamente.

Para quarta edição, o Festival dos Canais, que considero ter um potencial excelente, ainda gatinha, ainda dá mostras de algum amadorismo e falta de organização em aspetos chave. Gostava mesmo que começasse a andar na quinta edição. Que se aposte no que foi sucesso, que se corrija o que nao correu tão bem e que se programe e pense o festival atempadamente. Comecem já, não temos Carnaval em Aveiro, mas temos canais. Nos municípios vizinhos de Estarreja e Ovar, por exemplo, o Carnaval é organizado todo o ano, e durante todo o ano há eventos focados nessa organização.

Aprendamos e façamos do festival um evento distintivo da nossa cidade. Ainda gatinha, mas tem potencial para andar.

Sara Tavares.

* Professora, vogal do PS na Assembleia Municipal de Aveiro (stavares2006@hotmail.com).

Publicidade, Serviços & Donativos