Não descurando o presente, preparar o futuro

1135
Paços de Concelho de Ovar.

Como disse o nosso Presidente da Republica, e muito bem, a democracia não foi suspensa com o Estado de Emergência, e se faz parte da missão para que fomos eleitos, em períodos de normalidade, o escrutínio dos actos de gestão do executivo em permanência, muito mais cuidado terá de haver em tempos de crise, onde por norma a vida corre muito mal para a larga maioria, e bem de mais para uns poucos.

Por Artur Duarte *

Em meu nome e em nome da Fátima Bento, queremos manifestar o nosso reconhecimento a muitas pessoas que têm vindo de uma forma abnegada, a lutar pela mitigação dos efeitos da pandemia do Codiv 19, que teve e está a ter um impacto demolidor na nossa comunidade.

Queremos em especial prestar o nosso reconhecimento aos nossos médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar que esses sim, arriscando a sua própria vida, têm estado na linha da frente
da luta contra este vírus.

Uma palavra de reconhecimento aos nossos bombeiros, forças de segurança e ao comandante da base aérea de Maceda pelo empenho que têm tido na defesa da nossa comunidade.

Um agradecimento aos nossos presidentes da Junta, aos funcionários camarários, aos inúmeros voluntários, IPSS´s, e outras associações concelhias e nacionais que colaboram ou prestaram e prestam auxílio ao nosso hospital, profissionais de saúde e famílias carenciadas

Ao executivo camarário em permanência, agradecemos o empenho que tiveram principalmente na fase inicial do combate à pandemia, que grosso modo correspondeu ao período da primeira cerca sanitária, e duas palavras de censura; uma para o excesso de mediatismo auto-promocional na figura do presidente, que em muito contribuiu e está a contribuir para a estigmatização da nossa terra e das nossas gentes, a outra para a falta de informação e pela falta de respeito democrático, como durante todo este período, trataram os vereadores da oposição, não lhes dando as informações solicitadas, e a que legitimamente tínhamos direito.

Como disse o nosso Presidente da Republica, e muito bem, a democracia não foi suspensa com o Estado de Emergência, e se faz parte da missão para que fomos eleitos, em períodos de normalidade, o escrutínio dos actos de gestão do executivo em permanência, muito mais cuidado terá de haver em tempos de crise, onde por norma a vida corre muito mal para a larga maioria, e bem de mais para uns poucos.

Aqui chegados importa, não descurando o presente, preparar o futuro, estamos cientes e preocupados com a grave situação sanitária e económica que grassa por todo o mundo, a que infelizmente o nosso país não está incólume e onde, por força das circunstâncias o Município de Ovar foi e está a ser de sobremaneira afectado.

Daí que entendamos, que já deviam ter sido implementadas medidas concretas e estratégias que visem mitigar os efeitos desta crise no nosso tecido social e económico, mas como só agora e por manifesta indisponibilidade do executivo municipal, nos é dada a oportunidade de apresentar as nossas soluções e recomendações, é isso que nos propomos fazer, na certeza porem de termos consciência do tempo que já se perdeu e da dificuldade que a falta de informação nos trouxe para a correta definição das nossas propostas.

Mesmo assim, e dada a urgência que a situação determina, não nos escudámos nessa falta de informação, e resolvemos com os dados disponíveis, a bem do povo do concelho de Ovar, apresentar um conjunto de propostas, que visam apoiar as empresas, famílias e eliminar custos de contexto que esperamos mereçam a aprovação desta vereação.

Importa ainda saber quanto antes, o estado das nossas contas, e se já estamos em condições de aprovar as peças contabilísticas de 2019, e proceder à necessária alteração ao orçamento de 2020, reaplicando verbas em função da crise que estamos a viver, e reforçando outras pela introdução do saldo de gerência.

Só isso nos permitirá:

– Tomar decisões, enquadradas numa estratégia devidamente quantificada,

– Testar pela avaliação da real situação financeira da Câmara, os limites até onde podemos participar no apoio social e na reabilitação do nosso tecido empresarial.

– Ter os argumentos necessários para discutir com as diversas instituições do Estado, e eventualmente da Banca os montantes de contribuições a fundo pedido e de financiamento que permitam a implementação das soluções propostas.

* Vereador não executivo da Câmara de Ovar (PS). Intervenção no período antes da ordem do dia na reunião de Câmara de 30 de Abril.

Artigo relacionado

Ovar: “Controlada” a crise sanitária, autarquia define medidas para apoiar os mais afetados pela pandemia / Sugestões do PS ‘chumbadas’

Publicidade, Serviços & Donativos