Mealhada: Interesse municipal do projeto de concordância das Linhas Ferroviárias do Norte e da Beira Alta

761
Estação da Pampilhosa.
Dreamweb 728×90 – Video I

Câmara Municipal adia novamente a emissão da Declaração de Interesse Municipal na concordância das Linhas Ferroviárias do Norte e da Beira Alta.

Na noite de segunda-feira aconteceu o inesperado na Assembleia Municipal de Mealhada. Com o recuo da Câmara Municipal no tema da nova linha ferroviária gerou-se um impasse nacional igual ao do bloqueio da obra do novo Aeroporto de Lisboa.

Depois de aprovar a Declaração de Interesse Municipal em reunião de Câmara de 3 de Agosto, o Presidente de Câmara, após proposta de adiamento pela coligação Juntos Pelo Concelho da Mealhada, retirou da votação o ponto único desta sessão extraordinária, referente à nova linha de ligação entre a Linha do Norte e a Linha da Beira Alta.

Lançando acusações de mentira sobre os políticos do poder central e a Infraestruturas de Portugal, Rui Marqueiro diz-se enganado há 7 anos sobre as obras na Estação da Pampilhosa.

No fim da reunião Hugo Alves Silva, vereador da oposição, revelou o seu espanto “pela insensatez política socialista na Câmara”, reforçando que “há uma semana, apresentámos um caderno de contrapartidas e pedimos o adiamento para poder negociar e, mesmo assim, teimaram em aprovar a Declaração de Interesse Municipal, hoje, as mesmas pessoas, afirmaram que não confiam nas promessas do Governo e da Infraestruturas de Portugal e que só agora vão tentar negociar contrapartidas pelos impactos da obra no nosso território”.

Esta obra acabou de ser adjudicada por mais de 70 milhões de euros, mesmo antes da emissão obrigatória da Declaração de Interesse Municipal na Mealhada, mas a população afirma não ter sido ouvida sobre uma construção que passará “ao nível dos telhados, com comboios de mercadorias com 750m, de noite e de dia”.

A ausência de Discussão Pública e da Avaliação de Impacto Ambiental, contratualizada pela Infraestruturas de Portugal à Consugal SA, em Abril de 2017, por €799.000, gerou a revolta e a incompreensão da população, que acusa a Câmara de ter escondido o tema durante mais de 13 meses e de não ter defendido os interesses concelhios.

Vereadores do PSD na Câmara da Mealhada

Publicidade, Serviços & Donativos