Mais oito anos de cadeia para irmãos que roubavam à mão armada

598
Tribunal de Aveiro.

O Tribunal de Aveiro condenou, ao início da tarde, dois irmãos ladrões de gasolineiras a mais oito anos de cadeia, em cúmulo jurídico, a cada.

A dupla confessou os assaltos à mão armada de que estava acusado no processo mais recente a ser levado a julgado.

O acórdão aplicou a cada arguido as penas parcelares de três anos e meio por cada um dos cinco roubos agravados, um ano e quatro meses por um roubo cada, e nove meses por cada um dos três crimes de falsificação de documentos.

“O tribunal teve em conta a confissão nas penas que são próximas do limite mínimo”, referiu em jeito de comentário final a juiza presidente, sem desvalorizar “o número de crimes elevados e a gravidade de todos”.

As penas agora aplicadas serão alvo ainda de cúmulo, atendendo a que ambos os arguidos, um a cumprir pena e outro em preventiva a aguardar trânsito em julgado, já têm diversas outras condenações por outros tantos processos idênticos.

A dupla, que tem também outros casos a aguardar julgamento, esteve muito ativa em roubos à mão armada em lojas de conveniência de postos de combustiveis e cafés na região de Aveiro, entre novembro de 2016 e março de 2017.

Os factos agora levados a julgamento em Aveiro dizem respeito a roubos a gasolineiras e cafés de Albergaria-a-Velha e Águeda de onde foram levadas quantias em dinheiro das caixas registadoras ou malas, sempre na ordem da centena, duas centenas ou mesmo quatro centenas de euros por cada investida, totalizando cerca de 1500 euros.

Artigos relacionados

Irmãos justificam roubos à mão armada com dificuldades financeiras