Ílhavo: Requalificação do Jardim Henriqueta Maia está a afetar a mobilidade e comércio local

736
Jardim Henriqueta Maia, Ílhavo.

Construir o futuro… sem olhar e ultrapassar as dificuldades do presente é comprometer à partida a sua sustentabilidade e a qualidade de vida da população, pelo que se torna necessário repensar e minimizar os constrangimentos, sobretudo de mobilidade, que derivam das obras de requalificação do Jardim Henriqueta Maia.

Ílhavo – Carta aberta à Câmara Municipal

A Câmara Municipal de Ílhavo está a levar a cabo a requalificação do Jardim Henriqueta Maia e a zona envolvente ao Pavilhão Municipal, estando a sua conclusão prevista para daqui a um ano.

Estas obras vieram trazer várias condicionantes, nomeadamente na circulação de automóveis e de peões. Se, no caso dos automóveis a situação está aparentemente minimizada, no caso dos peões, estes têm de percorrer uma distância considerável para conseguirem passar de uma rua para a outra (Rua 25 de Abril – Calçada Carlos Paião/Avenida Mário Sacramento), pelo facto da obra se encontrar cercada. Esta situação afeta em particular as pessoas de mobilidade reduzida, como é o caso de muitos idosos.

Alguns cidadãos e comerciantes estão indignados, não pela obra em si, uma vez que o jardim necessitava de uma intervenção, mas pela forma como estas estão vão decorrer. As barreiras intransponíveis que foram colocadas, impedindo a passagem dos peões, afeta consideravelmente o comércio local, em particular os estabelecimentos que ficam nas ruas limítrofes que ladeiam o Jardim Henriqueta Maia.

Segundo o que Os Verdes conseguiram apurar, antes das obras iniciarem os comerciantes alertaram e propuseram à Câmara Municipal que, para minimizar os impactos, uma vez que a obra durará um ano, planeasse as obras de forma a permitir a passagem dos peões de uma rua para a outra, facilitando a mobilidade das pessoas, o que indiretamente também favoreceria o pequeno comércio. No entanto, como se pode confirmar, essa proposta não foi aceite pela autarquia.

Os Verdes foram igualmente alertados pela população, que ficou indignada pelo abate de pelo menos duas árvores existentes no jardim, próximo da estátua, no passado sábado, dia 16, quando achavam que a requalificação não implicaria o corte de qualquer árvore existente.

Construir o futuro… sem olhar e ultrapassar as dificuldades do presente é comprometer à partida a sua sustentabilidade e a qualidade de vida da população, pelo que se torna necessário repensar e minimizar os constrangimentos, sobretudo de mobilidade, que derivam das obras de requalificação do Jardim Henriqueta Maia.

Face ao assunto exposto, o Partido Ecologista Os Verdes pretende obter do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Ílhavo os seguintes esclarecimentos:

1- A Câmara Municipal prevê, no âmbito da requalificação do Jardim Henriqueta Maia, abater mais árvores?

2- Considerando que a obra veio trazer grandes dificuldades e limitações à mobilidade, em particular de peões, por que motivo a obra não foi planeada de forma a permitir o atravessamento do jardim?

3- Tendo em consideração que os comerciantes vão ser afetados com o decorrer das obras, durante o próximo ano, a autarquia tem prevista alguma medida ou apoio para os compensar?

* Coletivo Regional de Aveiro do PEV – Partido Ecologista Os Verdes.

Publicidade, Serviços & Donativos