Graphenest prepara internacionalização

552
Graphenest.
Dreamweb 728×90 – Video I

A Graphenest-Advanced Nanotechnology, uma empresa instalada no VougaPark- Centro de Inovação, em Sever do Vouga, vai produzir grafeno em escala semi-industrial para os Estados Unidos, Europa e Ásia.

Segundo uma nota de imprensa do município severense, a atividade desenvolvido no âmbito dos projetos ‘GProd’ e ‘GNESIS’, vão permitir adaptar o pavilhão do VougaPark para instalar uma unidade piloto semi industrial para a produção de grafeno.

A apresentação está agendada para dia 19 de dezembro, pelas 11:00, durante uma visita.

O ‘GProd’ complementa o projeto GNESIS, que é responsável pela expansão da capacidade produtiva da Graphenest.
“Desenvolvido com a colaboração de diferentes entidades como a empresa bracarense Displax, Universidade de Aveiro, Universidade do Minho e INL-Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, o GNESIS tem também como objetivo o
desenvolvimento de três diferentes aplicações: tintas anti corrosivas, plásticos com escudos eletromagnéticos e eletrodos de ecrãs de grande dimensão”, explica a nota de imprensa.

A nova unidade de produção e laboratório de investigação e desenvolvimento surge por iniciativa da Graphenest-Advanced Nanotechnology, criada em julho de 2015.

A empresa beneficiou de um investimento assumido pelo fundo Portugal Ventures.

“Encontramos aqui o que precisávamos para avançar com o nosso projeto e, agora, com a colaboração da Câmara Municipal, estão reunidas as condições para continuarmos a trabalhar a partir de Sever do Vouga”, afirmou Bruno Figueiredo, diretor científico da Graphenest.

A empresa desenvolve tecnologias inovadoras baseadas no grafeno, isolado pela primeira vez em laboratório em 2004 pelos investigadores russos Konstantín Novosiólov e Andréy Gueim. A descoberta valeu o prémio Nobel da Física em 2010.

Forte, duro, fino, leve e dobrável são algumas das características deste nanomaterial.

Integram a equipa de fundadores da Graphenest Bruno Figueiredo, diretor científico e doutorado em Engenharia Química, Rui Silva, diretor técnico e mestre em Engenharia Química, e Vítor Abrantes, administrador e licenciado em Tecnologia e Design do Produto.