Futebol/ Taça Distrital: Fiães levou o folar nas grandes penalidades

531
Beira-Mar-Fiães.
Smartfire 728×90 – 1

O Fiães conseguiu a proeza de afastar o Beira-Mar na quinta eliminatória da Taça Distrital, em partida disputada no estádio do Grupo Desportivo da Gafanha que foi decidida nas grandes penalidades, após um empate (2-2) no final do tempo regulamentar.

Por Pedro Martins*

Os aveirenses, detentores do troféu, e a quem faltam dois pontos para ‘carimbar’ o regresso aos ‘nacionais’, ainda conseguiram recuperar de dois golos de desvantagem sofridos em nove minutos. Mas na ‘lotaria’ dos penáltis, acabariam por falhar dois (3-4), deixando ‘cair por terra’ o objetivo de fazer o pleno na época de despedida dos distritais.

Num jogo em que quem chegasse de bicicleta não pagava ingresso, ajudando a encher a bancada, assistiu-se, dentro do campo, a uma primeira parte ‘com pouca pedalada’ dos locais, permitindo à equipa fianense superiorizar-se.

Aos sete minutos, susto para o Beira-Mar: Pedro Moreira choca, de cabeça, com Fabiano; depois da preocupação inicial, o capitão regressou ao jogo, com a cabeça ligada, no entanto acabou por sair ao intervalo.

Perto do primeiro quarto de hora, uma jogada de envolvimento do ataque do Fiães foi bem anulada pela defesa do Beira-Mar.

Na resposta, Artur vai à linha e cruza com conta peso e medida para Vando, que obrigou Pedro Justo a defesa para canto, negando aquele que seria o primeiro golo da partida.

Depois de uma recuperação, Artur fugiu pelo corredor esquerdo e foi travado em falta por Seminha, que levou o árbitro Carlos Novais a ter de mostrar cartão amarelo.

A vida do Beira-Mar começou a andar para trás aos 23 minutos. Um contra ataque do Fiães pela esquerda originou o cruzamento para a grande área que permitiria a Ramos rematar para o primeiro golo.

Perto da meia hora de jogo, Artur rematou cruzado ao segundo poste, com a bola a não passar muito longe da baliza.

À passagem do minuto 32, novo contra ataque dos visitantes pela esquerda. Jair colocou a bola no lado contrário onde Viditos, após tirar um aurinegro da frente, rematou para o fundo da baliza, com a defesa a ficar mal na fotografia.

Perto do intervalo, o central Diego Tavares redimiu-se ao reduzir para 1-2, após canto da esquerda cobrado por Artur, dando novo alento aos de Aveiro.

‘Ferros’ e Pedro Justo evitaram mal maior para o Fiães 

Pouco depois do apito para o reatamento, Diego Tavares esteve perto de ‘bisar’, mas o remate acertou no poste direito. Era o primeiro encontro da tarde com os ‘ferros’ da baliza adversária, numa fase frenética.

Assistiu-se a nova ocasião de golo, num cabeceamento de Rodrigo, que rendera Alex. Pedro Justo esteve bem a defender com as pernas. O guarda-redes do Fiães voltaria a negar o golo a um remate de fora da área sem preparação de Vando. Logo a seguir, a barra da baliza devolveu um remate de Rodrigo que estava isolado.

Aos 71 minutos, é, finalmente, reposta a igualdade. André Nogueira cruzou ao segundo poste, onde Rodrigo surgiu para bater o guardião feirense, aliviando o sofrimento dos adeptos aurinegros.

O Beira-Mar estava melhor, mas enervou-se. Depois de uma jogada junto à linha de fundo em que o árbitro assistente transforma um canto em pontapé de baliza a favor do Fiães. Carlos Batista, treinador adjunto do Beira-Mar foi expulso do banco devido aos protestos.

Além disso, o azar fazia questão de continuar. Rodrigo voltou a cabecear à barra. E na última jogada do encontro, Diego, com um remate do meio da rua, viu Pedro Justo a fazer a defesa da tarde.

Esgotado  o tempo regulamentar, a decisão passou pelas grandes penalidades. Reeditava-se o cenário da época passada nas meias finais, mas com a festa a ser feita, desta vez, pelos cerca de 70 adeptos forasteiros.

Seminha apontou o último penálti que valeu a passagem às meias finais da segunda competição mais importante da AFA.

Pelo Beira-Mar marcaram Artur, Diego (rematou por cima), Rodrigo, Vando (bola à barra) e André Nogueira. Viditos, Davi (rematou por cima), Manu, Lucas e Seminha apontaram os castigos máximos pelo Fiães.

O Beira-Mar alinhou de início com Marco, Pedro Moreira, Ramalho, Diego, Ricardo Ferreira, Mathieu, Ricardo Gomes, Boateng, Alex, Artur e Vando (jogaram ainda Nogueira, Frank e Rodrigo).
O Fiães iniciou a partida com Pedro Justo, Bruno Silva, Fabiano, Viditos, Jair, Seminha, Davi, Ramos, Sousa, Diaby e Manu (jogaram ainda Magalhães, Tiago e Luccas).

Declarações

“Na primeira parte não estivemos ao nosso nível e permitimos várias saídas perigosas do Fiães
que em duas ocasiões deram mesmo golo. Corrigimos na segunda parte. Tivemos inúmeras situações de golo, com a bola a bater nos poste ou com o guarda redes a defender. Outras a bater sem querer no guarda redes….  A decisão por grandes penalidades é um factor muito aleatório e o Fiães acabou por ser mais feliz.
Era uma competição que queríamos vencer, revalidando o título, não foi possível. Que sejam felizes as equipas que continuam em prova e que o vencedor seja o mais justo para nós” – Cajó, treinador do Beira-Mar.

“Foi um jogo difícil. Sabíamos que tínhamos que estar bastante bem organizados defensivamente. Na primeira parte, fomos praticamente perfeitos nesse sentido. Estivemos muito bem a defender, muito agressivos no lançamento das transições. Chegámos à vantagem por dois golos. Sabíamos, também, que o Beira-Mar iria conseguir desequilibrar o jogo, quer por Vando quer por Rodrigo, e foi assim que chegou ao 2-2. Agora queremos ir à final e temos que dar tudo” – Narciso Ratinho, treinador do Fiães.

* Colaborador desportivo da Rádio Terra Nova em serviço especial para o NoticiasdeAveiro.pt

Publicidade, Serviços & Donativos