Ex-bancária começa a ser julgada por ‘desfalcar’ conta de familiar

1481
Tribunal de Aveiro.
Comercio 780

Uma antiga bancária residente em Ovar, que está acusada de desviar quase 700 mil euros da conta de familiares, remeteu-se ao silêncio no início do julgamento, esta segunda-feira, no Tribunal de Aveiro.

Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o jornal online NotíciasdeAveiro.pt gratuito.

A arguida, que responde por crimes de peculato (1), branqueamento de capitais (1) e falsificação de documento (137), é cunhada do alegado ofendido, um industrial octogenário, que à data dos factos passava grande parte do ano a viver em Angola, onde tem empresas.

O dinheiro terá sido levantado faseadamente, pelo menos a partir de 2009 e até 2014, através da falsificação da assinatura da esposa do lesado, co-titular das contas, já falecida, irmã do marido da arguida.

“Descobri quando me disseram que devia ter lá três milhões e só estavam dois”, recordou no início da audiência o homem de 85 anos, garantindo que tinha “total confiança” no gestor das contas bancárias. Uma auditoria interna confirmaria o envolvimento da arguida.

A defesa sustenta que a mulher terá agido mandatada pela falecida esposa que pretenderia apoiar financeiramente a família sem o agora viúvo saber disso. Uma versão que o octogenário assegurou não corresponder à verdade.

O banco repôs a quantia alegadamente desviada, que exige agora em tribunal à arguida.

Artigo relacionado

Ovar: Antiga bancária acusada de desviar quase 695 mil euros de contas de familiares

Siga o canal NotíciasdeAveiro.pt no WhatsApp.

Publicidade e serviços

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais no jornal online NotíciasdeAveiro.pt, assim como requisitar outros serviços. Consultar informação para incluir publicidade online.