Eleições no PS concelhio de Aveiro: Candidatos esgrimem argumentos

2909
Paula Urbano e Manuel Oliveira de Sousa, candidatos ao PS concelhio de Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

NotíciasdeAveiro.pt apresenta as respostas a um breve questionário enviado aos dois candidatos à liderança do PS concelhio de Aveiro nas eleições agendadas para 7 de outubro.

Manuel Oliveira de Sousa (‘Novo ciclo’), recandidato ao terceiro mandato, e Paula Urbano (‘Antipar o futuro’), que emergiu como rosto da oposição interna, explicam, resumidamente, as razões de se apresentarem a votos e alguns dos seus compromissos.

1- Principais razões da candidatura à liderança do PS concelhio, que queira destacar ?

Paula Urbano (PU) – Queremos unir. Não queremos dividir. Para nós só há um PS em Aveiro. Este deve estar unido.
A disponibilidade para liderar um projeto que pretende afirmar o PS, aproximando o partido dos cidadãos, das associações e da comunidade.
Os péssimos resultados do Partido Socialista, no concelho, nas últimas eleições autárquicas e a incapacidade de o PS se afirmar na oposição ao atual executivo municipal e como alternativa ao mesmo.

Manuel Oliveira de Sousa (MOS) – Abrir um novo ciclo na vida do PS-Aveiro para que todos os processos sejam consolidados. Todos assumimos que um trabalho para dar frutos não pode ficar a meio. Entendemos, e temo-lo concretizado, que a vida político-partidária deve ter um planeamento de médio/longo prazo. Lideranças de ocasião, centradas em meras preocupações eleitoralistas a curto prazo e conducentes à escolha, nomeação e atribuição de lugares levam os partidos ao descrédito.
1 – Pelos militantes. Pelos que têm dado tudo pelo Partido e que se reveem no pensamento e ação em que a política, e a política partidária em particular, se radica em liderança servidora para que, dentro da nossa identidade e conceção de sociedade, dêmos o nosso contributo determinante para o bem comum.
2 – Pelo PS. O passado recente de vida partidária intensa, de agenda semanal, de compromisso com as lideranças locais, de corresponsabilidade total com todos os setores da sociedade e órgãos do Partido, com dinamização em proximidade permanente, na mobilização e diálogo constantes, como é reconhecido por todos.
3 – Pela ambição de levar o PS mais longe. Renovar e consolidar. Nas próximas eleições de 7 de outubro abre-se um novo ciclo político! É esse ciclo que, com renovada determinação, consolidação de mais Partido Socialista em Aveiro, dedicação contínua e ambição séria e mobilizadora, assumimos determinados: “Novo ciclo: Todos pelo PS, Tudo por Aveiro “ – como indica o título da Moção.
4 – Por Aveiro. O caminho que temos feito, a forma decente de fazer política, com coerência, estratégia e visão, a política como vida em cada dia, a presença constante junto das pessoas, têm sido marca indelével do nosso trajeto.

2- Compromissos mais relevantes para o mandato ?

PU – Reforço e consolidação da estrutura concelhia; Reforço da colaboração com a Juventude Socialista, com a estrutura MS-ID e com o Núcleo de Estudantes Socialistas da UA; Reforço da oposição ao executivo municipal; Favorecimento da interação dos militantes com o associativismo; Preparação das eleições autárquicas de 2025; Melhoria da comunicação interna e externa.

MOS – Nós não temos medidas de pacotilha, alinhadas à pressa, apresentamos reflexão com os militantes, nas suas Freguesias!
Por isso, o que que queremos é: Continuar a fazer do Partido Socialista um Partido sério, autêntico, próximo das pessoas e dos seus problemas, ser presente e persistente em todos os compromissos assumidos! Credibilizar a política, com autenticidade geradora de confiança. Ganhar Aveiro!

3- Que mais valias identifica na sua candidatura para o partido ?

PU – Candidatura jovem e experiente. Agregadora. Integra militantes com uma participação cívica ativa. Com ambição e com notoriedade. Homens e mulheres oriundos de diferentes freguesias e com experiências profissionais diversas.
Pretendemos mudar, valorizando o passado e antecipando o futuro. Trabalhando hoje com os jovens que nos governarão amanhã.

MOS – A Equipa, a autenticidade, o sentido moderno de estar nos partidos! A experiência! A esperança! Os jovens! A capacidade de trabalho, visão e dedicação diária ao PS e a Aveiro.

4 – Quais os maiores desafios que perspetiva para o mandato ?

PU –Aproximar os militantes que se afastaram do Partido; Trazer para o PS novos militantes; Inspirar todos os que cá estão a fazerem mais e melhor pelo exemplo e pela empatia.

MOS – Os mesmos de todos os dias: dedicação plena à causa que abraçamos.
Ser rigoroso no cumprimento do que prometemos na moção! Ser sério e coerente e combater a ideia absurda de que quem é sério não serve para a política! Ser tratado por igual na Comunicação Social. Acabar com a política do medo e dos silêncios. Ganhar Aveiro!

5-   O facto de serem candidatos com presença há vários anos no partido (autarcas eleitos, presença órgãos locais)  poderá refletir dificuldades ou menor predisposição para a renovação de lideranças e equipas ?

PU – Dos militantes do PS que poderão votar nas eleições de 7 de outubro, nem todos têm participado ativamente na vida política do partido pelo que é possível renovar protagonistas. Há que fazer o equilíbrio entre juventude e experiência. A lista que apresento fá-lo. Integra jovens e militantes experientes. Unidos pela vontade de colaborarem e trabalharem para a afirmação do PS em Aveiro.

MOS – Há seis anos que criamos lideranças e equipas, desde a JS às equipas nas várias Freguesias e setores, sempre disponíveis para o trabalho partidário e mobilização de cidadãos para o combate político, para a reflexão, para causas sociais, desde as mais mediáticas às mais eficazes, as do silencio junto de quem precisa.
Acha que ir em Campanha interna a todas as Freguesias, com debate em lugar público, com todas as Juntas a abrirem-nos a porta, que muito agradecemos, é sinal de dificuldade?!
Aos nossos candidatos, aos nossos líderes, àqueles que com verticalidade estão na Lista B, nós prometemos trabalho, não prometemos nem oferecemos lugares!
Na Lista B não se vislumbram dificuldades na renovação! Estamos preparados para tudo! Os militantes que decidam!

6- Quais as razões pelas quais os militantes não devem votar na candidatura oposta ?

PU – Prefiro elencar as razões para votarem na nossa candidatura: Para nós só há um PS. Com homens e mulheres disponíveis para trabalharem diariamente na defesa de valores como a liberdade, a igualdade e a justiça social. Temos ambição, temos visão e queremos ganhar eleições. Dentro e fora do partido.

MOS – Eu só tenho um voto e não será noutra candidatura que o confiarei. Os militantes de Aveiro é que terão de fazer esse exercício: há duas linhas bem claras sobre como entender e viver a vida partidária e política!
Sei que para liderar um Partido não posso andar a apoiar movimentos contra o meu Partido; sei que tenho de ser livre todos os dias, ser autêntico, assertivo, ousado e resiliente. Também sei que quando tomamos decisões sérias e coerentes há quem não goste e, ao sabor do vento, corre de um lado para outro à procura de quem dá mais. Quem não sabe para onde vai, não vai a lado nenhum.
Para credibilizar o meu Partido não posso ficar por palavras, conversa; tenho de agir, ser descomplexado, ter uma visão e práticas políticas e partidárias positivas, construtivas e não ficar agrilhoados a “azias” ou contradições, como por exemplo: há uns meses criticava-se a nossa posição de ampla coligação com os cidadãos, agora é afirmado que se ambiciona fazer isso (abertura à cidadania)?! Critica-se a oposição que é feita nos órgãos autárquicos e a lista está cheia de quem nunca expressou uma ideia quando estava lá, na oposição, e, por outro lado, como há muitos autarcas na oposição na outra candidatura, afirmações dessas ou são “bluff” ou autocrítica! Fala-se em antecipar o futuro (até acredito, porque só interessa mesmo que chegue rapidamente o futuro (se não der, faz-se como sempre: deixam o Partido para quem quiser “pegar nos cacos” e fogem para um lugar melhor!
No PS a responsabilidade da condução dos órgãos do Partido é dos militantes, de todos os que querem participar, e não de um ou dois.

7- Aproxima-se um novo ciclo autárquico com o limite de mandatos do atual presidente de Câmara. Como líder da concelhia equacionará disponibilizar-se para ser cabeça de lista para a presidência da autarquia ? Ou assume já que irá optar por outra figura, e, já agora, qual o perfil a privilegiar?

PU – Candidato-me a um mandato que tem a duração de 2 anos. Em 2024 poderei recandidatar-me à presidência da concelhia e ser reeleita. As eleições autárquicas serão em 2025. Devíamos estar focados nas mesmas desde o dia 27 de setembro de 2021.
O atual presidente da concelhia do PS, caso seja eleito no dia 7 de outubro, fará o seu último mandato à frente da mesma. Não gerirá, em 2025, o processo autárquico.
Assumo desde já a procura de um candidato, ou candidata, que tenha notoriedade, competências de liderança e comunicacionais, vontade de liderar um projeto político para a gestão do Município de Aveiro. Projeto esse que apresentará aos aveirenses propostas de governação autárquica claras e ações concretas.
É muito cedo para me disponibilizar para ser cabeça de lista da candidatura do PS às autárquicas de 2025. Há que avaliar outras possibilidades.

MOS – Deixe-me ser taxativo! Ponto um. Um candidato à Concelhia é um candidato à Concelhia! Não é rampa de lançamento para qualquer outro lugar.
Ponto dois. Quando se é Presidente da Concelhia não se deve ter medo de qualquer desafio, nem por falta de jeito (segundo o olhar de detratores ou opositores políticos) nem por tática política! Um Presidente da CPC assume-se em todas as horas, mesmo perante as maiores imbecilidades!
Ponto três. Queremos sempre o melhor dos melhores! E mesmo assim, às vezes não ganha! É assim a democracia.
Ponto quatro. O perfil do candidato a Presidente da Autarquia está definido desde sempre: o melhor candidato, o que pelas suas qualidades e mérito nos dê a garantia que o Município de Aveiro o escolherá para Presidente!
Não antecipemos o futuro com ideias atamancadas. Sejamos honestos com os aveirenses. Diz-me a experiência, e bastante conhecimento da situação, que este é o momento de dizer o que é verdade, sensato e adequado: agora estamos a falar de candidatura a Presidente da CPC.

8- Uma frase final para convencer militantes eventualmente indecisos.

PU – Aproveite a liberdade de escolha que tem nestas eleições para escolher a mudança que antecipará o futuro de Aveiro.

MOS –  A ideia final é mais que evidente porque os militantes já a conhecem bem: fizemos tudo o que tinha de ser feito no tempo certo. Falta-nos este ‘Novo Ciclo ‘para, com trabalho sério, ganhar Aveiro. Nós estamos cá sempre, pelo PS e por Aveiro! Nós fazemos; nós fazemos tudo pelo PS e por Aveiro!

Candidatura de Paula Urbano (PS de Aveiro).

Paula Urbano

Moção de candidatura | Lista candidata

Candidatura de Manuel Oliveira de Sousa (PS de Aveiro).

Manuel Oliveira de Sousa

Moção de candidatura | Lista candidata

Artigos relacionados

PS/ Eleições internas: Paula Urbano quer “afirmar o partido” no concelho de Aveiro

PS Aveiro: Paula Urbano divulga propósito da candidatura e apoiantes, entre os quais Alberto Souto

Aveiro: Manuel Oliveira de Sousa não abdica de fazer parte do “novo ciclo” do PS

Aveiro / PS Concelhio: Manuel Oliveira de Sousa apresenta moção de recandidatura

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.