“É preocupante a dificuldade em encontrar praticantes de desporto numa terra cada vez mais envelhecida”

481
Associação Desportiva e Cultural de São Jacinto, Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

Sérgio Nogueira, presidente da Associação Desportiva e Cultural de São Jacinto, fala do relançamento e das carências encontradas.

A associação tem uma nova direção.
A Associação Desportiva e Cultural de S.Jacinto (ADC S.Jacinto) elegeu uma nova direção à qual presido desde 6 de Janeiro. Somos gente da terra, uma equipa jovem, mas ciente que há muito trabalho a fazer. Sabemos das dificuldades e da exigência do projeto que agora iniciamos, mas mesmo assim demos a cara, demos o passo em frente. Demos e sempre o faremos. Trazemos muita vontade de mostrar trabalho e não vamos ter medo de o fazer.

Quais são as vossas prioridades?  

As nossas prioridades são a curto prazo a limpeza e renovação das nossas instalações no complexo desportivo de S.Jacinto, que se encontram num estado degradado mas em fase de modernização. Ainda em projeto é verdade mas esperamos efetivar este ano com o apoio da Junta de Freguesia de S.Jacinto e a Câmara Municipal de Aveiro, importantes e essenciais parceiros que, reconhecemos, sem os quais seria impossível.

Avançamos, no entanto, com diversas atividades das quais quero salientar o regresso da nossa equipa de futebol 11, este ano em fase de captação de jogadores e formação de equipa com vista a disputar o campeonato distrital já na próxima época.
Formamos também recentemente uma equipa de trail que se encontra a disputar provas do nacional da modalidade com boas prestações e bastante potencial.

Como prioridade também temos o nosso ginásio, pequeno e não tão bem equipado como pretendíamos diga-se de passagem, mas com grande espirito dos atletas que o frequentam. Temos nesse espaço o projeto com bastante sucesso “Sábados em ação” para os mais novos com o objetivo de exercitar os miúdos dos 4 aos 12 anos. Mas o destaque vai para a classe sénior que conta já com cerca de 12 elementos a praticar exercício. De realçar que o nosso atleta mais “velho” conta já com 72 anos.

Que modalidades e quantos atletas têm?
Neste momento estamos em fase de reorganização e reestruturação da associação que se encontrava um pouco parada. No entanto contamos já com cerca de 30 atletas no futebol divididos pela equipa de futebol 11 na vertente ainda amadora, equipa de futebol 7 a disputar o campeonato Superliga na zona de Aveiro e ainda a equipa de futebol de praia, sendo a nossa equipa a única inscrita na Associação de Futebol de Aveiro a representar Aveiro em Maio num torneio europeu na Nazaré e no verão no campeonato nacional da modalidade.
Temos na nossa mais recente secção seis atletas divididos entre trail e atletismo. No ginásio contamos com cerca de 40 atletas a praticar desporto com o objetivo de manutenção de forma e por motivos de saúde.

Quais os principais problemas que enfrentam?
A parte financeira é a que nos está a trazer mais dificuldades. A falta de apoios em geral está a ser colmatada com ajuda de todos aqueles que se inscrevem como sócios e nos ajudam bem como os patrocínios locais e a ajuda da Junta de Freguesia e Câmara Municipal no processo de modernização do complexo. Esta é a nossa maior dor de cabeça.
Por outro lado, ao queremos iniciar e retomar as mais diversas modalidades que temos pensadas está a ser um desafio. Primeiro porque temos de começar de raiz diversos processos, mas mais preocupante é a dificuldade em encontrar praticantes de desporto numa terra cada vez mais envelhecida.

Destaques para este ano do plano de atividades?
Do nosso plano de atividades temos a destacar o nosso evento “Riafitness 18” a realizar em Julho, é sempre uma referência no que toca a eventos de fitness na região de Aveiro. Temos ainda e sempre que dar importância ao Nacional de Futebol de Praia. Somos
como disse a única equipa a representar Aveiro, talvez por termos a única praia do concelho de Aveiro.

As instalações desportivas são satisfatórias?  
Isso é um assunto muito delicado, mas a resposta na minha opinião é que não. O nosso complexo, que ainda pertence á Junta de Freguesia, foi-nos cedido por protocolo estabelecido com esta, desde a criação da associação. Está num estado muito degradado e não permite desenvolver as várias atividades a que nos propomos, pelo menos da melhor forma e em alguns sítios em segurança. A crise que o nosso pais atravessou assim o ditou, quero acreditar. No entanto este problema já tem muitos anos, mas existe agora a pretensão de modernizar todo o complexo. Espero poder inaugurar as novas instalações nas quais temos também uma palavra a dizer por cortesia da Junta de Freguesia, que ficou com a responsabilidade de tratar e todo o projeto com o apoio da Câmara Municipal de Aveiro.

Neste momento usufruímos normalmente e com regularidade do campo relvado para o futebol de 11, do ginásio com aulas de treino funcional e prática de crossfit e ainda do pavilhão coberto que apesar de não se encontrar nas melhores condições serve tanto a
população da terra como todos aqueles que nos solicitam apoio.

São Jacinto tem condições para ter alguma modalidade em destaque?
Arrisco-me a dizer que sim. Eu nasci e cresci nesta humilde terra e por isso a minha resposta. Com pouco já fizemos muito. Como presidente desta associação que tanto me orgulho só posso pensar que sim e que vamos conseguir. Com a ajuda de todos é possível.
Sendo o futebol a “especialidade” da terra, pois sempre tivemos grandes jogadores, posso dizer que também no atletismo podemos marcar a diferença.

É difícil obter apoios privados?  E as ajudas públicas têm correspondido?
Com a entrada da nova direção quisemos primeiro renovar a cara do complexo e mostrar trabalho antes de irmos pedir apoios. Posso dizer que funcionou. Apesar de ser difícil neste momento, os apoios têm surgido. Aproveito para agradecer o esforço que está a ser feito pelos negócios locais que nos ajudam como podem.
Quanto a ajudas públicas ainda não podemos dizer muito, mas sabemos que podemos contar com a Junta de Freguesia que em muito nos tem apoiado bem como a Câmara Municipal de Aveiro que tem também uma relação próxima e interessada em nos ajudar a crescer.

Caminham para os 19 anos, a assinalar a 7 e 8 de abril.
É verdade. São sempre muito importantes estas datas por marcar o dia em que alguém decidiu formar a nossa associação. Atingiu no ano passado a marca dos 18 anos, mas como qualquer jovem esperamos agora dar o salto e crescermos de uma forma sustentável. Este nosso aniversário vai ser especial. Por ser o primeiro da nova direção vamos apostar em grande e queremos trazer até nós todos aqueles que se revêm na ADC S.Jacinto.

Vamos ter um fim de semana em cheio com diversas atividades. Com destaque para a apresentação da nossa equipa de futebol e inauguração da nova zona de convívio no nosso complexo com atuação de uma banda no sábado passando por uma aula de zumba e pela primeira vez futebol de rua na nossa marginal para mostrar a S.Jacinto que estamos vivos. Terminamos este aniversário com um
jantar de gala no qual esperamos reunir o maior numero de sócios e contar com a presença de várias entidades das quais destacamos o presidente da Junta de S.Jacinto e da Câmara de Aveiro bem como o comandante do Regimento de Infantaria Nº10.

A população pode ir ao vosso encontro, então.
A Associação encontra-se em fase de renovação. Estamos neste momento a cativar os antigos sócios a voltar, mas também criamos benefícios por forma a incentivar a inscrição de novos. Qualquer pessoa o pode fazer e está desta forma a ajudar nos a desenvolver as atividades que temos planeadas. Queremos envolver a comunidade. Temos como lema que é uma associação de todos e para todos. Estamos sempre recetivos a novas propostas e pretendemos que as pessoas venham até nós, seja no complexo ou na rua. Sentimos já o apoio de muita gente que nos dá os parabéns pelo trabalho ate agora desenvolvido o que nos incentiva a continuar e é assim que queremos continuar.