Covid-19: Testes nos lares aceleram / Homenagem aos profissionais do hospital de Aveiro

2033
Complexo social da Moita, Oliveirinha (Aveiro).
Dreamweb 728×90 – Video I

Os testes de Covid-19 a utentes e profissionais de lares dos 11 concelhos do Baixo Vouga, que estão a ser levados a cabo no âmbito de um plano traçado pelo Ministério da Solidariedade e Segurança Social, em colaboração com a Comunidade Intermunicipal Região de Aveiro (CIRA), são encaminhados para análise no laboratório criado na Universidade de Aveiro (UA).

Os resultados são comunicados ao Hospital de Aveiro e autoridade de saúde para, nos casos positivos, a tomada de medidas adequadas, seja ao nível de isolamento dos doentes, seja de disponibilização de equipamentos de proteção individual adequados ao pessoal das instituições.

“Fizeram-se muitos testes, mas ainda faltam mais lares do que os que estão feitos”, referiu Ribau Esteves, presidente da Câmara de Aveiro e da CIRA, perspetivando um balanço mais completo nos próximos dias.

Os bombeiros, que estão intensamente envolvidos no acompanhamento de doentes ou casos suspeitos, nomeadamente as tripulações de ambulâncias, são incluídos nos testes ao grupo de profissionais de saúde e encaminhados para as unidades Covid-19.

Decorreu na semana que passou mais uma ‘bateria’ grande de testes (130), de ‘segunda volta’, em três dos cinco lares com mais positivos da região de Aveiro: o lar da Moita, em Oliveirinha, o lar Santa Joana Princesa, ambos no concelho de Aveiro, e o lar São José (Ílhavo).

“É um instrumento de gestão importante. Na Santa Casa da Misericórdia de Aveiro passou quase um mês, era preciso lá voltar”, explicou o edil, dando conta de “normalidade” no reabastecimento dos kit’s e reagentes necessários para os rastreios em curso desde há duas semanas.

“Os lares são lugares com uma população de risco e em regra com outros problemas de saúde”, lembrou Ribau Esteves, apontando ainda problemas das instituições na gestão de recursos humanos, ao nível dos funcionários que estão mais próximos dos utentes, por força da intensa carga de trabalho do último mês, sem horários normais.

A autoridade de saúde enfrenta, nesta altura, alguma resistência de casos suspeitos em fazerem os testes para os quais são convocados nas várias unidades Covid-19 concelhias da região.

Sobre o regresso, aos poucos, das atividades normais do dia-a-dia, Ribau Esteves lembrou que vai ser “fundamental as pessoas gerirem bem a autodisciplina e a liberdade”, cumprindo as regras de distanciamento e proteção individual para reduzir os riscos de segunda ‘onda’. “É um grande desafio, sem deixar de cuidar dos doentes de risco, como os idosos”, sublinhou o autarca.

A esmagadora maioria dos óbitos por Covid-19 em Aveiro (25) e Ílhavo (11) dizem respeito a utentes de lares. Mesmo em infetados, estas instituições representavam 70% dos casos positivos.

Homenagem aos profissionais de saúde do hospital de Aveiro

Um grupo de jovens da Paróquia de São Bernardo, em Aveiro, organizou um pequeno momento musical para agradecer publicamente o empenho dos profissionais de saúde do hospital de Aveiro no combate da pandemia, a que se associaram representantes dos soldados da paz e das autoridades policiais.

Artigo relacionado

Covid-19: Óbitos em segundo lar de Aveiro

(Informação ao minuto Covid-19 na RTP).

Publicidade, Serviços & Donativos