Covid-19: Portugal regista 15.073 novos casos e bate novo recorde de mortalidade / 33 surtos ativos no distrito

1147
Agendamento de testes Covid-19 (arquivo).
Smartfire 728×90 – 1

Segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS) estão 6.603 pessoas internadas (+131) e 783 em cuidados intensivos (+18).

Existem 172.893 casos ativos.

Os 15.073 novos casos de infetados é o segundo pior registo da pandemia.

Lisboa e Vale do Tejo (LVT ) conta com 7605 novos casos (50,5% do país), seguindo-se a região Norte (3959 novos casos) e o Centro com 2309.

LVT regista mais 136 mortes, o Centro 66 e o Norte 59. O Alentejo conta com mais 26, Algarve mais cinco e Açores uma.

Continuar a ler artigo do Sapo24.

Mais 22 óbitos no Baixo Vouga e menos 332 casos ativos

A região do Baixo Vouga registava no ponto de situação da autoridade de saúde relativo a esta terça-feira registava 319 óbitos por Covid-19 do que na sexta-feira passada.

Os 11 municípios do Baixo Vouga tinham 5.046 casos ativos (menos 332).

Ovar é o concelho com mais casos ativos, estando reportados 1.107 casos ativos (mais 8).

Aveiro surge em segundo com 991 casos ativos (menos 66).

Em terceiro aparece Águeda com 722 casos ativos (menos 11).

Desde o início da pandemia, estão confirmados 21.279 casos de Covid-19 no Baixo Vouga (mais 785).

O total de pessoas em vigilância era esta terça-feira 16.203 (mais 492).

Os óbitos ocorreram em Anadia (5), Aveiro (3), Ovar (3), Ílhavo (2), Oliveira do Bairro (2), Sever do Vouga (2), Vagos (2), Estarreja (1), Murtosa (1) e Albergaria-a-Velha (1).

33 surtos no distrito de Aveiro, um “pico”

O distrito de Aveiro conta, à data de hoje, com 33 surtos ativos nos lares. Oliveira de Azeméis (4), Águeda (3), S. João da Madeira (3) Anadia (3), Aveiro (3), Mealhada (3), Estarreja (2) e Arouca (2) são as situações que inspiram mais atenção dos serviços da Segurança Social e Saúde, correspondendo a “um pico” comparativamente a alturas anteriores.

Desde o início da pandemia, registaram-se cerca de sete dezenas de surtos nos 19 concelhos de Aveiro.

A vacinação nos lares (1ª dose) deverá terminar esta semana, estando a segunda ronda pelas instituições marcada para fevereiro.

A Segurança Social tem mobilizado, na medida das possibilidades, brigadas de intervenção rápidas para apoiar instituições com surtos, complementando o trabalho.

A resposta está condicionada pela falta de recursos, nomeadamente de médicos e enfermagem.

O mesmo problema estará a condicionar a ativação de um ‘hospital de campanha’ no pavilhão da EB 2,3 João Afonso, em Aveiro, para apoiar os serviços hospitalares, localizado na mesma rua.

Surtos ativos no concelho de Aveiro desde a semana passada

Os surtos ressurgiram no concelho de Aveiro na semana passada, atingindo três instituições (duas IPSS e uma empresa). Em duas delas já se registaram óbitos.

 

Covid-19 / Ponto de situação online

(Informação ao minuto Covid-19 na RTP).

Publicidade, Serviços & Donativos