Covid-19 / Ovar: Fábrica de embalagens aumenta remuneração durante estado de calamidade

3343
'Cerca sanitária' em Válega, Ovar.
Dreamweb 728×90 – Video I

O PCP anunciou hoje que irá apresentar na Assembleia da República uma pergunta ao Governo “procurando esclarecer a situação dos trabalhadores” de uma fábrica de embalagens de Ovar que mantém a produção, apesar da ordem de encerramento determinada na declaração de estado de calamidade no concelho.

“Sendo certo que desenvolve produtos para os mercados de alimentação, e podem produzir para o sector médico e farmacêutico, a sua produção não se resume apenas a este sector e à data de hoje mantém a produção de todo o tipo de embalagens”, refere uma nota de imprensa da concelhia comunista vareira.

A empresa informou os funcionários que irá compensar a disponibilidade para comparecer ao trabalho na fábrica de Esmoriz, atribuindo um prémio no valor de 120 euros aos que não faltem entre 19 de Março e 30 de Abril e com uma componente de compensação do trabalho extraordinário (acrescentando 25% aos actuais 100% no trabalho extraordinário realizado ao sábado).

Segundo o PCP, um trabalhador já terá sido diagnosticado com a Covid-19, três estarão à aguardar os resultados dos exames de diagnóstico e outros 27 estarão à espera de contacto das autoridades de saúde.

No comunicado, a concelhia “reitera que no combate à epidemia não é aceitável qualquer aproveitamento oportunista e chantagista do patronato e nem pode servir de pretexto para acelerar a exploração” (Informação ao minuto Covid-19 na RTP).

Publicidade, Serviços & Donativos