Comunicados da CMA que enganam aveirenses sobre providência cautelar

596
Projeto Rios, ASPEA.

A manifesta incapacidade de lidar com a crítica e a diversidade de opiniões tem levado o presidente da Câmara de Aveiro, Ribau Esteves, a resguardar-se no escudo da (má) política para, através do ataque e perseguição às pessoas e organizações e do aproveitamento mediático, usando repetições e manobras discursivas na base das fake news, enganar os aveirenses e, em particular, os dirigentes das associações do município que concorreram ao PMAA2020.

Ribau Esteves faltou à verdade aos aveirenses, e agitaram-se manobras de bastidores, quando referiu, em 8 de agosto, que a providência cautelar apresentada pela ASPEA estaria a “tentar suspender os apoios financeiros em ano particularmente difícil e grave para as Associações de Ação Social por força do Combate à Pandemia do Coronavírus / Covid-19”.

Na verdade dos factos Ribau Esteves deveria saber que esta mensagem era falsa, pois tinha sido solicitada a suspensão da eficácia do ato administrativo que atribuiu apoios no âmbito do PMAA, até que se concluísse o processo que já deveria estar terminado a 12 de junho de 2020, de acordo com ofício do executivo, recomendando-se o rigor nos comunicados da CMA.

O presidente da ASPEA esclarece que a providência cautelar foi apresentada em 30.07.2020, reforçando que o processo de avaliação das candidaturas já deveria ter terminado muito antes desta data, daí a razão de ter sido solicitada a intervenção do Tribunal Administrativo, para se evitar todas as falhas de 2019.

Ler comunicado completo da ASPEA – Associação Portuguesa de Educação Ambiental

Artigo relacionado

Tribunal de Aveiro e Ministério Público dão razão à CMA nos processos interpostos pela ASPEA e pelo Sr. David Iguaz

Publicidade, Serviços & Donativos