‘Companhas’ de arte xávega de Vagos com subsídio municipal à atividade

637
Praia da Vagueira, Vagos.
Dreamweb 728×90 – Video I

A Câmara de Vagos decidiu apoiar financeiramente os pescadores dos barcos da arte xávega nas praias do concelho.

O executivo local liderado por Silvério Regalado aprovou por unanimidade o pagamento de um subsídio de cinco mil euros a cada uma das três ‘companhas’ existentes “para que estas continuem a desenvolver a sua atividade com melhores condições de subsistência económica”.

Ao subsídio de 2019, acrescem mais 2500 euros “para efeitos de aquisição e reparação de maquinaria, equipamentos e redes”.

A pesca artesanal com recurso à xávega nas praias da Vagueira e Areão é vista como de “elevada importância do ponto de vista socioeconómico, histórico, cultural e turístico”.

Uma atividade que “confronta-se com diversos riscos e ameaças, que comprometem a sua sobrevivência”, justificando, por isso, a ajuda municipal.

A Câmara entende que “é fundamental defender e salvaguardar este património cultural, que está intimamente associado à identidade da população local, em particular da população da freguesia da Gafanha da Boa Hora”. Considera mesmo que “é imperativo desenvolver ações concretas de salvaguarda” da xávega “para que seja assegurada a sua sustentabilidade socioeconómica”.

Neste contexto, e em jeito de comemoração do Dia Nacional do Pescador, a Câmara assinou um protocolo de apoio às ‘companhas’ do concelho de Vagos “para que estas continuem a desenvolver a sua atividade com melhores condições de subsistência económica.”

Por unanimidade, a autarquia vaguense aprovou uma proposta da presidência que estabelece, para os anos de 2019 e 2020 o pagamento de um subsídio de cinco mil euros a cada uma das ‘companhas’, apoiando a atividade nos meses de verão em que as condições meteorológicas o permitam.

Publicidade, Serviços & Donativos